Virtude

Construir uma família honesta depende mais de atitudes do que de discursos

  • PorRossana Bittencourt, especial para o Sempre Família
  • 21/01/2021 17:15
Uma família honesta se constroi em pequenas atitudes
Faça o que eu digo e não faça o que eu faço na educação dos filhos não funciona.| Foto: Bigstock

Por mais difícil que possa ser, falar a verdade normalmente é a melhor solução. A honestidade é uma virtude que deve ser praticada diária e constantemente. Seja com o parceiro, com a família e até com as crianças, ser verdadeiro é a base para qualquer relacionamento. Essa qualidade está diretamente ligada à autenticidade e é um atributo que coloca em sintonia o sentir, o pensar, o falar e o fazer.

Siga o Sempre Família no Instagram!

Odette Amaral Bácaro é psicóloga e explica que muito mais do que dizer o que se pensa, ser honesto implica ser real consigo e com os outros sobre as coisas nas quais se acredita e das quais se precisa. Ela, porém, alerta: “O problema é que falar, fazer um discurso, é muito fácil. Demonstrar a honestidade é muito mais importante”.

Com relação aos benefícios, a psicóloga lista vários. “Fortalece o relacionamento, permite desenvolver consistência na maneira de viver e apresentar fatos. Honestidade gera confiança, fortalece o vínculo, aumenta a credibilidade. A pessoa até melhora a saúde porque vive mais feliz”, acredita ela. E é por isso que mentir é tão prejudicial. “Quando você mente, se ilude e acredita no que diz. O mentiroso vai se enrolando tanto que fica preso e acaba se entregando na mentira”, avisa.

Sinceridade demais

Outro aspecto importante, de acordo com Odette, é o excesso de sinceridade. Se comprometer com a verdade não significa ferir os sentimentos de outra pessoa. “Se a outra pessoa não tem estrutura para receber a verdade crua, tem que saber responder pra se tornar mais doce, leve e sutil, sem que seja uma mentira”, ensina. “Algumas questões exigem bom senso”, diz ela.

Demonstrar na prática

Em casa, com as crianças, o principal a fazer é dar o exemplo. Não precisam ser grandes atitudes, diz Odette. Com coisas simples é possível ensinar que a honestidade é o melhor caminho. Ela cita alguns exemplos que podem ser colocados em prática no dia a dia: falar sempre a verdade, ensinar que tudo que a criança pegar emprestado, deve ser devolvido, não importa o valor, elogiar o filho quando tiver uma atitude honesta, cumprir as promessas que faz. Todas essas maneiras potencializam as lições repassadas.

“Faça o que eu digo e não faça o que eu faço na educação dos filhos não funciona. Eles observam os pais e vão moldando os valores deles”, argumenta a psicóloga, que ainda destaca a importância de incluir atividades lúdicas para falar sobre valores. Contação de histórias e jogos que colocam a honestidade em prática ensinam que essa é uma característica nobre. E mais: que uma atitude honesta pode influenciar outras pessoas a serem honestas também.

Oportunizar o diálogo

Outra dica da psicóloga é dar espaço aos filhos para que contem a verdade. Muitas vezes a criança, por medo da reação dos pais, omite uma atitude boba, como esquecer um brinquedo na casa de um amigo, por exemplo. E é assim que a mentira pode começar a se tornar uma atitude frequente na rotina da casa.

Por fim, o mais importante: ser honesto consigo mesmo fazendo sempre uma reflexão sobre o próprio comportamento. Dessa forma as atitudes individuais sempre estarão alinhadas com essa virtude cada vez mais ameaçada porém tão necessária.

Deixe sua opinião

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.