Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: reprodução/YouTube
Crédito: reprodução/YouTube
Defesa da Vida

Vida começa com um clarão de luz, revela filmagem inédita de uma fecundação

Cientistas norte-americanos registraram "fogos de artifício" sendo gerados do encontro do espermatozoide com o óvulo

A vida humana começa com um clarão de luz, no momento em que o espermatozoide encontra o óvulo. Foi o que cientistas da Northwestern University, em Chicago, nos Estados Unidos, mostraram pela primeira vez, capturando em vídeo os incríveis “fogos de artifício”.

Em reportagem do The Telegraph, os pesquisadores explicam que uma explosão de pequenas faíscas irrompe do óvulo no exato momento da concepção. Cientistas já viram o fenômeno em outros animais, mas é a primeira vez que se comprova que isso também acontece com os humanos.

Flash de luz emitido no momento em que o óvulo se encontra com o espermatozoide. (crédiro: Northwestern University)
Flash de luz emitido no momento em que o óvulo se encontra com o espermatozoide. (crédiro: Northwestern University)

O brilho ocorre porque quando o espermatozoide se insere no óvulo ocorre um súbito aumento de cálcio que desencadeia a liberação de zinco. Quando o zinco é solto, prende-se a pequenas moléculas que emitem uma fluorescência que pode ser captada por câmeras microscópicas.

Não se trata apenas de um incrível espetáculo, que destaca o momento em que uma nova vida começa, como também o tamanho do brilho pode ser usado para determinar a qualidade do óvulo fertilizado.

Os pesquisadores reportaram que alguns óvulos brilham mais do que outros e isso se relaciona com a sua maior propensão a gerar um bebê saudável. “Foi memorável”, disse Teresa Woodruff, uma das autoras do estudo, ao jornal britânico. “Descobrimos as faíscas de zinco há apenas cinco anos em camundongos. Ver o mesmo acontecer em óvulos humanos foi de tirar o fôlego”.

“Toda a biologia começa na fecundação, mas ainda assim não sabemos quase nada sobre os eventos que acontecem na fecundação humana”, disse Woodruff.

No experimento, os cientistas usaram enzimas de espermatozoides em vez dos próprios espermatozoides para ver o que acontece no momento da concepção.

O estudo foi publicado em 26 de abril na revista Scientific Reports.

Assista a um vídeo sobre a descoberta da Northwestern University:

Com informações de The Telegraph.

Colaborou: Felipe Koller.

12 Comentários
  1. Só me pergunto se todos que comentaram leram o artigo. se viram q isso é um fenômenos comum em mamíferos, se entendem o mecanismo da liberação do zínco e se notaram q não é emissão de luz, e sim fluorecência detectada pelas câmeras, e pergunto, o que é diva ? o que me faz humano ?

    Conheço inúmeras formas de vida que se reproduzem sem gametas, mas pelos argumentos que li então eles não são vivos ??

  2. A vida sempre ocorreu na fecundação, e ainda há “especialistas” pró aborto que defende a ideia de que até 12 semanas não é um ser humano. E ainda há os mais extremos psicopatas dizendo que se pode matar um bebê após seu nascimento. Eu tenho asco de pessoas pró aborto, são simplesmente assassinos.

Leia também