Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
mamaesarada14536
Saúde

Tudo o que uma mãe precisa saber sobre a diástase pós-parto

Entenda por que o problema ocorre e como voltar a ter o corpo que tinha antes da gravidez

Você acorda um belo dia, olha para o berço e vê aquele ser humano minúsculo que tanto ama e que acabou de sair de você. Mas aí você se olha no espelho e não fica tão feliz assim.

O período pós-parto é de muita felicidade mas também pode ser de muito sofrimento.

Os motivos para esse sofrimento são os mais diferentes: depressão, vergonha do corpo, medo do futuro ou de ser uma mãe ruim. E entre esses problemas, um que é muito comum é a diástase.

O que muitas mães não sabem é o porquê disso acontecer e qual a solução para retornar ao corpo antigo. Para alívio delas, a diástase tem cura.

O QUE É DIÁSTASE ?

A diástase é provocada pelo estiramento da barriga, que causa um afastamento do reto abdominal (o famoso “tanquinho”).

Forma-se então um espaço entre os músculos, o que esteticamente não agrada às mulheres.

Veja na imagem abaixo.

diastase-abdominal

Isso acontece porque a parede do útero aumenta para receber o bebê. A partir daí, essa divisão entre os músculos forma uma lacuna, a diástase.

O tamanho dessa lacuna, ou afrouxamento da linha alba (essa que divide o músculo reto), varia normalmente de 1 a 3 centímetros dependendo da constituição muscular da mulher e do tipo de gestação que teve. Nos casos mais graves pode chegar até 20 centímetros.

Além de prejudicar a estética da barriga, essa separação do reto abdominal pode contribuir para o surgimento de dores nas costas e pernas, já que esse músculo tem a função de sustentar a região anterior do abdômen(a parte da frente), da parte de baixo do osso do peito até o osso do púbis.

COMO PREVENIR

Como mulheres que já tiveram diástase tem predisposição para desenvolvê-la novamente em gestações futuras, recomenda-se um intervalo de pelo menos dois anos entre uma gravidez e outra.

Fortalecer a região com exercícios físicos é a sugestão número um de médicos e especialistas, mesmo antes da gravidez e também durante.

Só que ao mesmo tempo é necessário ter cuidado com esses exercícios.

Na gestação não é recomendado fazer atividades de impacto ou muito intensas, pelo contrário – hidroginástica e caminhadas leves ou são exercícios mais adequados.

Apesar de existirem maneiras de prevenir a diástase, ela ainda assim é muito comum.

A cantora Sandy contou que demorou mais de um ano tentando voltar a ter a barriga que tinha antes da gestação com exercícios.

A também cantora Cláudia Leitte passou pela mesma situação. Mas deu a volta por cima, conseguiu perder os 12 quilos conquistados na gestação e hoje está em ótima forma.

O TIPO DE PARTO INFLUENCIA?

Não. A diástase pode acontecer em mulheres que tiveram tanto parto normal como cesariana.

Para as gestantes que fizeram parto normal, em 48 horas é possível obter o diagnóstico do problema e em 30 dias já pode começar a fazer atividades físicas.

Para quem fez cesariana, a comprovação do diagnóstico de diástase chega a demorar 30 dias, já que é preciso esperar a cicatrização dos pontos.

Nesse caso, Para começar a prática de exercícios físicos nesse caso, é aconselhável esperar de 45 a 60 dias. É sempre importante obter uma liberação oficial do médico que acompanhou a gestação ou o parto.

SERÁ QUE VOCÊ TEM DIÁSTASE? COMO SABER?

diastase-teste-660x330

Para descobrir se você tem diástase e em qual nível ela se encontra, é possível se autoavaliar.

Deitada no chão e com as pernas flexionadas, coloque a mão na linha média do abdome, logo acima do umbigo.

Posteriormente, como se fosse fazer um exercício abdominal, levante a cabeça e o tronco, fazendo pressão sobre o local.

Se houver uma lacuna entre o músculo, essa pode ser considerada diástase.

Se você ainda tiver alguma dúvida, o vídeo abaixo contém mais informações de como identificar a diástase! Assista:

A prática de exercícios físicos específicos é o caminho para trazer a musculatura de volta ao normal.

Só que se os exercícios forem feitos de forma equivocada ou se problema persistir após 6 meses, mesmo com atividade física, a opção é a cirurgia para reparação do tecido muscular – a abdominoplastia.

No entanto, essa é uma opção cara e dolorosa, a ser feita como última alternativa, pois a abdominoplastia é um procedimento bastante invasivo.

COMO VOLTAR A TER O CORPO DE ANTES

Na grande maioria dos casos, as fibras musculares voltam ao normal em cerca de dois meses.

Mas apesar de não ser grave, a diástase afeta as mulheres não só fisicamente mas também no psicológico.

Gestações múltiplas, bebê grande, excesso de líquido amniótico, obesidade, desnutrição, e má postura são alguns dos fatores que podem predispor a diástase pós-parto.

Nesses casos, fazer exercício é fundamental. Fortalecer, estabilizar e alinhar o reto abdominal é o segredo para combater esse mal.

Mas tem um porém. Se os exercícios forem feitos da maneira errada podem deixar o problema ainda maior.

UM EXEMPLO DE QUEM SUPEROU

Para muitas mães, fazer exercícios fora de casa é simplesmente impossível. Quem tem bebê em casa sabe que é preciso se dedicar muito e com isso não sobra tempo para cuidar do corpo. Ir à academia não é uma opção!

Pensando nisso, e também na dificuldade que é superar a diástase, a personal trainer e especialista em treinamento físico para mulheres, Gabriela Cangussu, criou o Mamãe Sarada. Em sua segunda gravidez, Gabriela engordou 14 quilos e também teve que lidar com a diástase.

Pensado na rotina de quem é mãe, o programa tem por premissa ser muito prático. As aulas, de apenas 14 minutos, são focadas nas regiões do corpo mais afetadas pela gestação, como abdômen, pernas e glúteos.

O programa é 100% online, ou seja, dá para fazer tudo de qualquer lugar, com auxílio da própria Gabriela. Nenhum equipamento ou roupa extra é necessária e ele ainda vem com vários bônus, como guia de nutrição e aulas extras para fazer com as crianças.

Assim, esse programa se torna uma opção eficiente, rápida e fácil de ser encaixada no dia-a-dia, podendo ser feita em casa, perto do bebê, ou até quando ele estiver dormindo.

Quer saber mais sobre o programa? Acesse: http://mamaesarada.com/mais_informacoes

 

Leia também