Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Reprodução/YouTube
Reprodução/YouTube
Artigo, Educação dos filhos

Quer ser melhor com seus filhos? Cuide de si mesmo primeiro

Jim Otremba, palestrante nacionalmente conhecido nos EUA, explica o que ele aprendeu sobre cuidar dos filhos estudando as prioridades das companhias aéreas

Fui abençoado por poder passar meio-período do dia em casa com meus filhos desde 1999. Agradeço a Deus pelo dom de ser pai. É a coisa mais desgastante e empolgante que eu já fiz. Nunca fui tão dependente de cafeína na minha vida, mas estou certo de que Deus não está se importando com isso.

Cuidar dos filhos se tornou muito mais fácil para mim e para minha esposa quando aprendi a profunda lição das companhias aéreas. Deixem-me explicar.

Antes de cada voo a comissária vai à cabine e diz aos passageiros algo assim: “Em caso de despressurização, máscaras cairão automaticamente. Puxe uma delas, coloque-a sobre o nariz e a boca ajustando o elástico em volta da cabeça e depois auxilie os outros, caso necessário.”

Aqui está a chave: coloque a máscara primeiro em você e depois ajude os que não conseguem colocá-la sozinhos. Quais são os motivos de instruir isso?

As companhias sabem que se os adultos conseguirem receber o oxigênio de que precisam primeiro, então há uma chance de que os outros possam ser salvos. Por exemplo, nós temos um filho de sete anos que tem síndrome de Down. Se no meio de um voo, uma máscara cair do compartimento acima dele, ele vai adorar esse novo brinquedo vindo dos céus! Ele vai usar o elástico da máscara para arremessar tudo o que encontrar pela cabine. E o seu suprimento de oxigênio ficará criticamente baixo.

Oxygen_mask-process-s250x249Essa é a razão pela qual as companhias aéreas nos dizem para pôr as nossas máscaras primeiro. Se eu viver, há uma chance de que eu possa ajudar os outros. Se eu não tiver o oxigênio de que preciso, vou desmaiar, garantindo que aqueles que não conseguem pôr a máscara sozinhos também desmaiem. Se os pais conseguirem aprender algo com isso, estou certo de que as nossas famílias ganharão muito!

Os pais não precisam se sentir culpados quando dedicam tempo para coisas boas, além dos seus filhos: tempo para se exercitar, tempo para orar, tempo para amigos que nos enriquecem. É claro, isso não pode se dar o tempo todo, mas como pais temos que nos certificar que algumas de nossas necessidades básicas estão supridas. Essas atividades darão muito oxigênio para nós, o que é necessário em meio à quase sufocante quantidade de tarefas que um pai ou uma mãe tem.

Quando satisfazemos as nossas necessidades básicas, estamos em melhores condições de atender às demandas dos nossos filhos. E como fazemos isso?

Depende. Converse com o seu cônjuge e planeje momentos para que possam sair para um passeio, encontrar amigos inspiradores, rezar, receber uma orientação espiritual ou simplesmente tirar um cochilo. Se possível, planejem um retiro todo ano. Eu tento participar de uns dois ou três retiros por ano, assim como a minha esposa. Eu sinto falta da minha família, mas volto renovado e cheio de novo oxigênio para compartilhar.

Planejem também uma sincronia dos seus calendários pelo menos duas vezes ao mês. Nesses momentos, conversem sobre se as suas necessidades estão sendo satisfeitas. Se precisarem de mais tempo para atividades que os oxigenem, planeje-as o mais cedo possível. Essas atividades sempre vão ajudar as nossas famílias.

Se você é pai ou mãe solteiro, tente começar um grupo de amigos que possam cuidar dos filhos dos outros cada um uma vez por semana, dando aos outros algum tempo livre. O tempo a sós como pai ou mãe solteiro é difícil de encontrar.

Quando comecei a falar sobre isso com famílias atarefadas e os pais começaram a arranjar tempo para satisfazer as suas necessidades, coisas maravilhosas começaram a acontecer. Os pais se tornaram mais pacientes com os seus filhos. Por terem se tornado mais gentis consigo mesmos, se tornaram mais gentis com os filhos. Começaram a respirar o ar de uma vida nova.

 

 

Publicado originalmente em For Your Marriage 

Colaborou: Felipe Koller

Leia também