Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.
Saúde

Quais os perigos de engravidar após os 40?

Veja quais os riscos para a mãe e para o bebê quando a mulher engravida mais tarde

Vários estudos confirmam que mais e mais mulheres preferem adiar a gravidez, por várias razões. No entanto, a grande maioria dos médicos diz que a idade das mulheres é fundamental no processo de concepção. Há muito tempo o assunto tem sido debatido no campo da medicina sobre as implicações de uma primeira gravidez após os 35 anos, entre os quais estão a esterilidade e possíveis doenças que podem se desenvolver no bebê e na mãe.

De acordo com especialistas, a partir de 30 anos o número de ciclos ovulatórios diminui e a porcentagem de fertilidade cai até 40%, a possibilidade de esterilidade é seis vezes maior do que aos 20 anos e duplica ao chegar aos 40 anos de idade. Depois de 45 anos há pouca chance de engravidar com seus próprios óvulos, em parte devido ao início da menopausa ou pré-menopausa, quando há a parada definitiva de ovulação. “Quanto maior a idade de uma mulher que quer ser mãe, menor a chance de engravidar e maior o risco de complicações decorrentes”, relata Bernat Serra, chefe da obstetrícia USP Institut Dexeus.

Dificuldades na gravidez depois de 40 anos

Ao chegar nos 40 anos, existe mais probabilidade de a mulher desenvolver problemas como pressão alta, metabolismo do açúcar anormal (diabetes gestacional), anormalidades placentárias, complicações no nascimento e desordens cromossômicas, como a Síndrome de Down.

“Mulheres com mais de 40 anos têm mais risco de dar à luz um bebê com baixo peso ou um bebê prematuro. A porcentagem de bebês nascidos sem vida também é mais elevada e os estudos mostram que as crianças nascidas de mães mais velhas têm risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 1 e hipertensão”, dizem os especialistas do Baby Centro Espanha.

Além das condições físicas, o atraso da maternidade também traz outras consequências:

  • O ciclo natural dos seres humanos implica uma diminuição da vitalidade e energia com o passar do tempo. Portanto começar a educar as crianças aos 40 anos ou mais pode ser mais cansativo para os pais.
  • Também nos homens existem algumas desvantagens com a idade. Embora eles sejam fisicamente capazes de gerar vida depois de 60 e até mesmo anos mais tarde, a qualidade do esperma se deteriora com a idade, e a porcentagem de defeitos genéticos é mais elevada do que com o esperma de homens mais jovens.
  • Quanto à situação financeira, a aposentadoria pode ser adiada alguns anos, porque previamente não se foi criterioso e programou economia para resolver as necessidades materiais dos filhos, e a fase de produção é de 20 a 48 anos.
  • Da mesma forma, o seguro de vida e o plano de saúde também tendem a aumentar ao longo dos anos do beneficiário.

Vantagens de ser pais jovens

O “novo” não significa “adolescente”, mas uma idade ideal em que o homem e a mulher na condição de cônjuges têm a maturidade de conceber uma criança. Na juventude tudo é programado para assegurar uma vida nova e há condições física e psicológica para a educação e a formação dos filhos.

Em suma, um filho sempre será recebido como uma grande bênção, independentemente da idade, ainda que o corpo da mulher esteja melhor em sua juventude.

Fonte: LaFamilia.info.

Leia também