Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.
Pets

Quais os cuidados necessários com cães e gatos no verão?

É importante ficar atento aos sinais emitidos por cães e gatos de que estão com calor. O principal deles é ficar ofegante, pois é assim que acontecem as trocas de calor com o ambiente

Os animais sofrem com as altas temperaturas da mesma forma que os humanos, por isso é importante ficar atento aos sinais emitidos por cães e gatos de que estão com calor. O principal deles é ficar ofegante, pois é assim que acontecem as trocas de calor com o ambiente.

Eles também ficam inquietos, procurando um lugar mais fresco da casa, como azulejo da cozinha ou a sombra da varanda. O mesmo acontece com os gatos, que dificilmente ficam ofegantes e também bebem água com mais frequência.

De acordo com Fernando Luersen, veterinário da DrogaVET, os cuidados com os pets devem ser iguais aos cuidados que temos com as crianças. Ele sugere uma lista deles:

  • Muita hidratação. Coloque água fresca em várias partes da casa.
  • Evite passeios em horários muito quentes (preferir horários pela manhã e final de tarde). Sempre leve água fresca para o passeio.
  • Muito cuidado com pavimento quente, prefira gramados e áreas sombreadas para evitar queimaduras nos coxins plantares (almofadinha das patas). Faça o teste: se você conseguir andar descalço, seu pet também pode!
  • Não confine animais em carros ou ambientes fechados, pois pode haver hipertermia (aumento da temperatura corporal a limites não suportados pelo animal).
  • Utilize filtro solar (isso mesmo!) nos focinhos, orelhas e ao redor dos olhos de animais claros muito expostos ao sol. Existe filtro solar próprio para animais que não causam problemas caso sejam ingeridos.
  • Faça uma vermifugação preventiva e fique atento quanto às pulgas e carrapatos, pois a estação favorece a proliferação desses parasitas.
  • Para cães com pelos longos, recomenda-se uma tosa. Em gatos, a tosa pode ser mais estressante do que o calor e isso deve ser avaliado.

No que diz repeito à alimentação, de acordo com o veterinário, não há necessidade de mudança. O que pode acontecer é a diminuição do apetite do pet. Neste caso a oferta do alimento pode acontecer em horários mais frescos do dia.

Outra sugestão é oferecer frutas frescas, caso seu animalzinho aceite bem. Já com relação a hidratação, fique sempre bem atento. Espalhe vários potes de água pela casa e jardim e troque durante o dia. Se estiver muito calor, coloque pedras de gelo em alguns recipientes. Na praia ofereça água de coco fresca. Lembre-se: a hidratação é a chave para amenizar o calor dos pets.

Praia e piscina

É possível sim levar o bichinho de estimação para a praia, mas alguns cuidados são fundamentais antes, durante e depois da aventura.

  • Faça a vacina para Dirofilariose, um verme comum na areia.
  • Sempre que seu pet entrar na água (praia, piscina, riacho), observe com cuidado os seus ouvidos. Ouvido sujo e água foram uma combinação que pode levar às chamadas otites (dor de ouvido). Se seu cão entrou na água e não para de balançar a cabeça e está inquieto, procure um veterinário.
  • Depois de um banho de mar, rio ou piscina, dê um banho com shampoo e seque bem seu bichinho, pois calor e umidade também favorecem as inflamações da pele.
  • Uma visita ao veterinário no início do verão ou antes de uma viagem é uma forma de evitar problemas.
  • Verifique se as vacinas, o vermífugo e o anti-pulgas estão em dia.

Ao notar qualquer mudança de comportamento do seu pet relacionada ao calor, fique atento! “Se ele estiver muito ofegante, mudando de lugar com frequência, bebendo água sem parar, pode estar com hipertermia e o veterinário deverá ser consultado. Manchas na pele, coceira e queda de pelo podem indicar uma dermatite. Se ele coça muito o ouvido e chacoalha a cabeça, procure também uma avaliação profissional”, finaliza Luersen.

Leia também