Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Virtudes e Valores

Por que deletamos amigos do Facebook? A ciência explica

Tolerância a postagens polêmicas sobre política e religião é menor com amigos que não vemos no dia a dia

As pessoas têm, em média, 338 amigos no Facebook – muito mais do que são capazes de manter na vida real. Isso porque é mais fácil dizer “sim” do que “não’ quando você recebe uma solicitação de amizade na rede e assim acumula-se centenas de colegas virtuais.

Agora, os pesquisadores estão tentando entender o fenômeno contrário: o que está por trás do impulso de desfazer uma amizade no Facebook? Christopher Sibona, da Universidade de Colorado, em Denver, decidiu investigar quais amigos têm mais chance de não passar pela peneira das amizades.

Sibona entrevistou mais de mil usuários da rede social para chegar a uma resposta. Descobriu que os amigos da escola ou da faculdade e os contatos profissionais – colegas, clientes e fornecedores – estão no topo da lista das amizades virtuais desfeitas.

Posts polêmicos ou irrelevantes

De acordo com a pesquisa, deletamos os antigos colegas de estudo por dois motivos principais: eles postam conteúdos que nos desagradam sobre política e religião ou fazem um grande número de posts sobre assuntos irrelevantes. A teoria de Sibona é que somos menos tolerantes com as besteiras postadas por esse tipo de amizade antiga.

“É possível que, no colégio, as pessoas não soubessem as posições políticas e religiosas umas das outras. Também é possível que um deles (ou ambos) tenha mudado suas visões desde aquela época”, diz o estudo.

Existe ainda uma terceira possibilidade: seus “amigos” do colégio nunca foram tão amigos assim. Quando duas pessoas dividem um contexto social (trabalham na mesma empresa ou estudam na mesma instituição), elas ficam amigas online por “vigilância social” – basicamente, para saber o que as outras pessoas desse ambiente estão fazendo.

Quando acaba a escola ou a faculdade, não é mais tão interessante saber para que bar os colegas foram na sexta à noite, e aí não existe um motivo forte o bastante para manter aquele perfil na sua rede.

Do mundo real para o virtual

Tirar seus amigos do colégio do Facebook não é nada pessoal – é uma questão da rede em si. Agora, no trabalho, uma amizade desfeita online indica que as coisas não vão bem no escritório. Segundo os estudos de Sibona, o maior motivo para deletarmos uma amizade profissional do mundo virtual são problemas offline.

Somos muito mais pacientes com os posts bobos ou radicais dos colegas de trabalho, mas, no momento em que acontece um desentendimento real, o próximo passo é desfazer a amizade no Facebook. Para o autor do estudo, é provável que deletar alguém do trabalho, com quem existe contato na vida real do dia-a-dia, só por causa de posts chatos, cause situações constrangedoras. Assim, só existe um rompimento virtual depois que a relação real está prejudicada.

Sibona concluiu também que pessoas mais jovens costumam deletar colegas com mais frequência e são menos tolerantes com as pessoas que postam demais. Já as mulheres tendem a ser mais pacientes que os homens tanto com as besteiras virtuais quanto sobre as ideias polêmicas dos colegas sobre política e religião.

O autor da pesquisa pretende continuar estudando o assunto para tentar modelar um “ciclo de vida” da amizade: como ela começa, quando termina e se existe um tempo típico de duração para uma relação entre duas pessoas. Além disso, ele quer analisar qual a diferença entre as amizades que duram a vida toda e aquelas que só sobrevivem até o próximo escândalo político.

 

Com informações de Exame

Colaborou: Felipe Koller

Leia também