Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crésito: Bigstock.
Crésito: Bigstock.
Saúde, Terceira idade

Para envelhecer com saúde, diga sim ao exercício físico

Segundo um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, concluído em 2008, o exercício físico habitual pode ajudar emocionalmente os idosos de saúde delicada sem lhes causar dor

A atividade física é cada vez mais essencial para a saúde à medida que envelhecemos. A perda de movimentos que vem com o passar dos anos pode ser combatida com uma vida ativa física, mental e socialmente. Sem dúvida, antes de adotar uma rotina de atividades é essencial um check-up médico (veja as dicas abaixo). Natação, caminhadas e ciclismo são os esportes mais benéficos para os mais velhos.

Segundo um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, concluído em 2008, o exercício habitual pode ajudar emocionalmente os idosos de saúde delicada sem lhes causar dor. Esses resultados dão força à evidência de que o movimento pode oferecer benefícios além do bem-estar físico.

Provavelmente, a conclusão mais importante do estudo é ter demonstrado que o exercício, desde as atividades de resistência até o treinamento para aumentar a força e a flexibilidade, não causou dor aos participantes com enfermidades como a artrose.

Isso é realmente importante, de acordo com os especialistas que conduziram o estudo. Afinal, dizem, muitos idosos, especialmente os que sofrem de artrite e doenças semelhantes, são refratários aos exercícios porque pensam que isso lhes causará dores extras.

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

Os programas para a terceira idade devem ser personalizados e dirigidos a trabalhar aspectos físicos específicos para esta fase da vida. São eles:

Resistência – É a forma de esforço mais importante para uma pessoa mais velha e produz numerosos efeitos benéficos para a saúde. Incluem atividades que exigem esforço continuado e intensidade moderada.

Coordenação e flexibilidade – A coordenação dos movimentos tem uma grande relação com o cansaço que produz o exercício físico. Melhorando-a, podemos conseguir um grande ganho na oxigenação e prevenir numerosas lesões. Algo parecido ocorre quando se trabalha com a flexibilidade, cujos exercícios podem garantir e restaurar movimentos em todas as articulações (joelhos, calcanhares, punhos etc.) Não faz sentido trabalhar aspectos físicos que não são adaptáveis à idade, como o ganho de velocidade, que poderia sobrecarregar o sistema cardiovascular e a locomoção. Também não faz sentido trabalhar o binômio força-velocidade, pois a sobrecarrega para o coração e o aumento da pressão arterial são excessivos.

Força – O desenvolvimento de força muscular moderada, com exercícios de média intensidade são válidos. A regra geral é exercitar-se somente até que surja um incômodo – ou seja até que a respiração se torne difícil ou até que o cansaço venha.

Aquecimento – Aqueça-se de forma progressiva, preparando o organismo para o passo seguinte. O aquecimento ideal costumar durar de 5 a 15 minutos, levando-se em conta que o clima frio pede um tempo maior. Uma rotina adequada inclui a execução lenta e com poucas repetições de caminhada ou trote suave, estiramentos de braços e ombros, flexões ligeiras das pernas e estiramentos dos tornozelos. Tão importante quanto o aquecimento é o “esfriamento”, que consiste na redução paulatina da atividade. É importante evitar as mudanças bruscas de ritmo.

Segundo um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, concluído em 2008, o exercício habitual pode ajudar emocionalmente os idosos de saúde delicada sem lhes causar dor. Esses resultados dão força à evidência de que o movimento pode oferecer benefícios além do bem-estar físico

Passo a passo

– Vá ao médico e peça que ele sugira as modalidades mais adequadas à sua condição física. Sem aconselhamento, você ficará mais exposto a lesões e fadigas.

– Dentre as opções indicadas pelo médico, escolha aquela que mais agradar. Vencer a resistência para sair da inatividade é difícil, mas a tarefa torna-se mais simples.

– Use roupas e calçados adequados. Eles não precisam ser sofisticados, apenas confortáveis e compatíveis com a atividade física escolhida.

– Em geral, pode-se aconselhar uma combinação de 70% de atividades de resistência, 20% de coordenação e 10% de força. O esquema de uma sessão de exercícios deve ser: aquecimento, fase principal e redução do ritmo.

– Antes de começar a treinar, faça aquecimento com exercícios de alongamento.

– Preste atenção aos sinais do organismo. O exercício deve ser suspenso em caso de dor, pressão toráxica, variações anormais na pulsação, taquicardia, arritmias, enjoos, palpitações, palidez, náuseas e vômitos pós-esforço.

 

Caminhada, o esporte ideal

Caminhar é uma forma de treinamento aeróbico ideal para as pessoas de idade avançada. Proporciona uma boa forma física, além de não oferecer fatores de risco para doenças cardiovasculares e reduzir o sobrepeso.

Caminhar no ritmo normal é recomendável sobretudo para quem levou uma vida sedentária, pois a atividade adapta o organismo a uma nova carga de trabalho sem riscos. Por isso, a caminhada não deve faltar no treino diário. A duração deve variar de acordo com a combinação com as demais atividades físicas escolhidas. Seu médico pode ajudar a estabelecer a distância, o tempo e o ritmo das passadas.

Com informações do site LaFamilia.info.

Leia também