Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Fuller Studio
Fuller Studio
Cultura, Religião

Música cristã precisa de honestidade, não de rótulos, afirma Bono, do U2

Segundo o líder do U2, uma honestidade brutal é a raiz tanto do relacionamento com Deus quanto da arte autêntica.

Se você é fã do U2, deve saber que o vocalista Bono Vox ama os salmos. O músico irlandês falou várias vezes sobre a inspiração que os hinos bíblicos lhe dão. E, em uma entrevista ao Fuller Studio publicada no fim de abril, asseverou que os salmos têm uma grande lição a oferecer aos músicos cristãos: se você quer criar arte de verdade, precisa ser bem mais honesto do que a típica música cristã da atualidade.

“Não temos que agradar a Deus de nenhuma outra maneira senão sendo brutalmente honestos”, disse o músico de 57 anos, em conversa com o professor de teologia e cultura David Taylor. “Essa é a raiz não apenas do relacionamento com Deus, mas de uma boa música. De fato, é o único lugar onde você pode encontrar uma boa música ou qualquer obra de arte que mereça esse nome”. Bono se dirigiu especificamente aos artistas “que não estão dando expressão para o que está realmente acontecendo em suas vidas porque acham que isso vai dar uma impressão errada sobre eles”.

“Quando olho para as Escrituras, encontro um grupo das pessoas mais desonestas já reunidas em um só lugar. Tem assassinos, adúlteros, egocêntricos… Sabe, parece a maioria dos meus amigos, parece eu mesmo”, disse Bono. O cantor vê o caminho de conversão do rei Davi – um adúltero e assassino – refletido na profunda honestidade dos salmos.

Fazem falta as músicas religiosas com crítica social, diz padre Zezinho

“Tenho um leve pressentimento de que Deus não está interessado em propaganda”, ironizou Bono. “A criação grita o nome de Deus. Então não precisamos pôr uma placa em cada árvore, certo? ‘Não, esta não é uma árvore cristã, não tem uma placa nela dizendo isso’. Esta não é uma música cristã; aquela é. Entende? Isso realmente precisa parar. Precisa parar”, disse o músico.

“Quero ouvir uma música sobre a ruptura do seu casamento, quero ouvir músicas sobre justiça, quero ouvir a raiva diante da injustiça, quero ouvir uma música tão boa que faça as pessoas desejarem fazer algo a respeito de seu tema”, defendeu Bono.

***

Com informações de Fuller Studio.

***

Veja 14 obras de Cláudio Pastro, maior artista sacro brasileiro das últimas décadas

Como são feitos os vitrais de uma igreja

Os católicos e o rock: 7 bandas que você precisa conhecer

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também