Sempre Família - Porque cuidar é fundamentalAtivo 1

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
blog3
perfil
Angélica Favretto

Mil Novecentos e Bolinha

Um blog nostálgico

Volte no tempo com esses 24 materiais escolares

Alguns eram objeto de desejo dos alunos e outros viraram moda e aí todo mundo tinha. Aqui estão algumas coisinhas que farão você sentir saudade da escola :D

escoa

Fevereiro está chegando. E ele traz sempre um evento que pode ser encarado como bom ou ruim, dependendo da perspectiva. Principalmente a infantil. HAHAH! E não. Não se trata do Carnaval, mas sim, da VOLTA ÀS AULAS. Tem criança que não quer voltar para a escola porque ainda acha que tem muito das férias para aproveitar e tem as que logo se animam para encontrar os amigos. Para alguns pais, ainda, é um alívio. Não porque acham que é um problema ter os filhos em casa, mas porque assim fica mais fácil trabalhar. Enfim. É uma época do ano cheia de emoções. Eu não sei você, mas até que eu gostava de ir para a escola, de comprar o material escolar, de receber os livros novos e ver o pessoal. E falando em material escolar, que tal lembrar de alguns deles comigo?

 

MIMEÓGRAFO: que xeróx o quê! O negócio era  a professora instalar o tal mimeógrafo no meio da sala e começar a rodar as cópias de atividades ali mesmo, deixando aquele cheirão de álcool invadir nosso pulmão. Uma beleza, uma alegria, uma praticidade que só. E o barulhinho? Parecia um trem no trilho. Sempre que me falam do mimeógrafo eu lembro da professora Eliana, da terceira série, dando aula e já agilizando nossas próximas tarefas. Olha aqui ele em ação:

MALETA ESCOLAR: uma maleta cheia de coisas mesmo! Tinha aquarela, canetinha, lápis de cor, clips, régua, borracha, cola e tesoura. Tinha algumas com variações de itens, mas não importa, era SENSACIONAL! Era muita coisa legal.

maleta

CANETINHA PLAYCOLOR: lembra dela? Fabricada pela Paper Mate, o estojo Playcolor vinha com uma canetinha branca que era demais! Por quê? Porque tinha as brancas que “apagavam” a cor das outras e permitiam fazer detalhes em cima das cores nos desenhos e as brancas que mudavam a cor das outras. Tipo… de verde para amarelo. Ah! Tinha um estojo da playcolor de acrílico que era lindinha!

playcolor

ESTOJO AUTOMÁTICO: era um Transformer. Apertava um botão e saía o apontador; apertava outro e saía a borracha; mais outro, uma pequena cola. Aí abria a tampa principal e saia um espaço para os lápis, canetas e lapiseiras. Era um negócio absurdo! Tinha uns modelos que vinham até com uma lupa!

estojoaut

ESTOJO DE FERRO:  “EEEEEEE, MARMITAAAA!” Era o que se ouvia na minha sala da escola quando um raio desses estojos (penal, para quem é de Curitiba), caía no chão. Fazia um barulhão e espalhava tudo pelo chão, porque tinha dois níveis (lembrando uma marmita de ferro mesmo) e aí cabía um mar de coisas.

ferro

BORRACHAS FOFINHAS: uns sapinhos engraçadinhos, umas frutinhas, umas florzinhas…tudo no diminutivo. Dava dó de usar até, porque eram muito bonitas e até perfumadas, às vezes. Vinham aos montes em uns pacotinhos e sempre tinha um colega de turma que te levava um deles.

borracahs cheirosas

CANETA GEL: começou com a prateada e a dourada. E eram caras! Nossa, como eram caras! Mas lá pelas tantas, depois de muito convencer a mãe, a gente conseguia uma. De repente começaram a fazer mais cores, elas passaram a vir em kits, com mais glitter e mais cheiro, e pronto: todas as meninas tinham! Teve uma época que numa das minhas escolas proibiram de usar só caneta gel para escrever, porque dependendo da cor borrava ou desaparecia a escrita.

gel

LAPISEIRA TROCA PONTA: perder uma ponta dessa lapiseira era uma lástima. É que daí as outras ficavam meio soltas no tubinho e ficava feio. Apesar disso, essas lapiseiras eram ótimas. Só ficava meio ruim quando a ponta começava a ficar grossa e a letra (que já não era muito bonita) ficava feia.

troca ponta

LÁPIS TABUADA: PROIBIDO! Isso mesmo. Esse lápis era proibido em muitas escolas. Na época a gente reclamava, mas se não fosse assim, de que jeito iríamos aprender a tabuada? Ou melhor, decorar a tal?

tabuada

RÉGUA COM ÁGUA DENTRO: bonitinha e um ótimo entretenimento para aquela hora em que a gente só precisa olhar para alguma coisa, afim de se concentrar. O glitter com alguns pedacinhos de papel colorido dentro da água hipnotizavam as crianças.

regua agua

RÉGUA MÁGICA: eu nunca encontrei uma utilidade efetiva para essa régua, mas era  super legal fazer um monte de desenhos coloridos em forma de círculos.

regua magica

TESOURA DO MICKEY: e tinha da Minnie também. Tinha que cuidar pra um colega de turma não sair carregando sua tesoura e ela nunca mais voltar pra você.

CLIPS PLÁSTICOS COLORIDOS: de plástico, colorido e vinha num potinho em forma de maçã. Não tinha como dar errado. Gostoso era fazer uns colares com esses clips ou pendurar alguns no cabelo. Ah! E claro, colorir o caderno com eles.

maça

FICHÁRIO: era ótimo, porque acabava com aquela tristeza de comprar mais de um caderno no semestre e aí na troca, ter que andar com dois cadernos pesados na mochila. Eu usei um mini fichário até na faculdade, no primeiro ano. Mas a moda mesmo era ter um da Minnie ou outro personagem de desenho, quando a gente estava na escola.

fchário

CADERNOS COM ARTISTAS: eu tive um com a foto do Márcio Garcia. HAHAHAH! Eu nem gostava dele, mas lembro que a minha avó, que ia sempre comprar o material escolar comigo e com a mãe, achou bonito e falou pra eu levar. Ah! Eu tive um com a capa do Fábio Assunção também. Para os meninos lembro que tinha a Ana Paula Arósio e a Luana Piovani.

click

BORRACHA AZUL E VERMELHA: “Ela apaga caneta”, eles disseram. “Ela destrói seu caderno”, era a realidade. HAHAHAH! Até meio que apagava, mas não era uma grande coisa não. E tinha quem lambesse a pontinha dela para poder apagar melhor e aí fazia um buraco na folha. Terrível.

borracha azul e verm

PLÁSTICO QUADRICULADO: quantos cadernos e quantos livros você já teve com essa capinha de plástico toda quadriculada. Verde, amarelo, azul, vermelha e acho que já vi alaranjada. Quase todo mundo tinha esse mesmo plástico cobrindo os materiais da escola e era quase um padrão.

plástico

PAPEL ALMAÇO: quando eu ouço algum adolescente reclamando que tem de digitar trabalhos para levar a escola, olha…eu tenho vontade de colocar num quarto escuro e deixar pensando na vida. Tinha coisa mais tensa do que escrever o trabalho todinho no almaço? E fazer margens? E colar figuras? E nossa! Era uma mão de obras lascada. E a gente ainda consultava livros para fazer os tais trabalhos!

almaço

BORRACHA DISNEY: uma época aí, a Faber Castell resolveu estampar algumas borrachas brancas com personagens Disney. Tinha alguns lápis também, coloridinhos e com os personagens. Mas as borrachas seguiam aquele mesmo problema da tesoura da Minnie e das borrachas em formato de sapinhos: de repente iam embora das suas coisas sem você perceber e nunca mais voltavam. HAHAHAH

borracha faber

FOLHAS DE FICHÁRIO: se o fichário fazia você estar muito na moda, ter folhas fofas neles também! Aí valia aquela regra: as matérias que você mais gostava eram dignas de terem folhas caprichadas e com desenhos, e as matérias que não eram bem vistas ficavam com aquelas folhas que eram só brancas e com linhas azuis. Fim.

folha fichário

LANCHEIRA: ou “lixeira”, segundo meu pai, quando eu era criança. Eram bem lindinhas e funcionais, já que vinham com um espaço para a comida e com a garrafinha para o suco. Eu tive uma vez, uma garrafinha que veio estragada e então meus primeiros lanches daquele ano sofriam inundações, porque vazava o suco. Ah!Lembro que se a gente levava chá também havia esse risco de tudo ficar pela lancheira.

lancheira

LÁPIS DE COR FABER CASTELL: isso aqui era ostentação! Eles fizeram o kit de 48 cores, o kit que vinha na latinha, o kit da caixinha que ficava em pé, o kit aquarelável. Olha. Se tinha empresa boa em saber como vender ou pelo menos atiçar as vontade das crianças, era a Faber Castell. Eu não sei como são os kits agora, mas eu amava eles! A minha vó sempre dava os mais legais para eu levar par a escola. Ah! E teve também o cores da natureza que vinha com capas de bichos 😀

faber 48

CORRETIVO: Tá. Isso ainda existe, eu sei. Mas eu lembro da ansiedade da minha turma da terceira série, quando a professora disse que a gente ia começar a usar caneta nos cadernos. Não podia ainda usar corretivo, mas ele entrou no meu material escolar, se não me engano, mais uns anos depois. O cheiro dava enjôo quando a gente usava logo cedo ainda com o estomago vazio e tinha gente que pintava a unha com aquilo. HAHAHAH! Era multiuso.

corretivo

CARRINHO DE FERRO PARA MOCHILA: eu já peguei a época da mochila com rodinhas, mas sei de bastante gente que usou o suporte que vendia separado, para carregar as pesadas mochilas.

carrinho ferro

ESTOJO DE MADEIRA: também não tive, mas um colega meu da escola tinha. Eu lembro que achava que era uma caixinha de dominó no começo do ano, quando vi ele colocar aquele estojo em cima da mesa. Um tio meu, que tem pouca diferença de idade de mim, também tinha um desses estojos.

estojo madeira

 

Por

Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia também