Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
blog3
perfil
Angélica Favretto

Mil Novecentos e Bolinha

Um blog nostálgico

10 brincadeiras de rua que faziam a gente feliz!

Se você já tem filhos e eles não conhecem nenhuma das brincadeiras abaixo, por favor, apresente essas preciosidades a eles ;)

bola_de_gude

Lembro que quando eu era pequena, meu horário para entrar em casa era por volta das 19 horas. Até a mãe chamar eu ficava brincando na rua com meus amigos. A gente não tinha essa grande preocupação com assaltos, raptos ou assédios como hoje. Dava para aproveitar o quanto pudesse a companhia deles, para chegar bem cansada, tomar banho e dormir. Meu irmão do meio ainda aproveitou um pouco dessa coisa boa que era ficar na frente de casa até o anoitecer, mas minha irmã mais nova, já não teve essa chance. Uma pena. Para lembrar dessa época. trago aqui 10 brincadeiras de rua que faziam o maior sucesso antigamente (e que se houver empenho, acho que ainda podem fazer hoje…)

Elástico: o único perigo era enroscar a perna no elástico e cair de boca no chão. Fora isso, era um ótimo exercício para as pernas. Queria ter aquela disposição ainda hoje. HAHAHA! Não lembro bem, mas acho que os meus elásticos eram feitos de meia calça. E ah! Se as amigas não pudessem brincar e você precisasse ficar dentro de casa, dava pra prender em cadeiras e FEITO! Olha esse vídeo:

Pular Corda: mais um ótimo exercício para as pernas! E para o coração; e para o sistema respiratório! HAHAHA! Como cansava, mas como era bom! E as musiquinhas? “Um homem bateu em minha porta e eu abri! Senhoras e senhores…” O QUÊ? Como assim…abriu? Enfim…

pular-corda

Bets/Taco: para mim sempre foi Bets. Mas uma amiga de São Paulo me contou que é Taco. Continuo chamando de Bets. Fim. Basicamente com dois pedaços de madeira, bolinha, lata ou garrafa e quatro pessoas, tava pronta a brincadeira. Era muito legal! Mesmo para mim, que jogava na rua ao lado de casa, que é descida. Com pouca inclinação, mas uma descida. Avalie.

jogo-de-taco-rua

Caçador/Queimada: a mesma amiga de São Paulo me alertou para um outro nome desse jogo. Ela chama de Queimada, mas eu ainda prefiro Caçador. Em uma quadra com mais ou menos seis componentes de cada lado, o desafio era acertar o adversário com uma bola (macia, mas não muito leve). Já ganhei campeonato disso na escola, na 4ª série. \o/

20140128-queimado

Pega-pega: por não ter um número certo de jogadores, dava para colocar a rua toda para correr.  Era uma bagunça! Uma gritaria! Um desespero, para que o amigo que foi eleito o pobre coitado do pegador, não conseguisse te pegar.

pegapega

Esconde-esconde:  você deve chamar de pique-esconde também. Esse era um jogo de tensão. Um amigo se escorava no muro ou numa árvore, e a gente corria se esconder. Aí era aquela adrenalina para conseguir bater no pique antes dele. Ah! Sempre tinha um engraçadinho cansado, que ficava bem atrás de quem ia procurar e, assim que ele terminava de contar, o tal batia o pique!

pique-esconde1

Amarelinha: dia desses, indo trabalhar, encontrei uma amarelinha rabiscada na rua. “No centro da cidade! Ainda há esperança na humanidade!” – pensei eu. Só que fui ver o desenho e me pareceu errado o começo e o final. Ok, tava bom demais para ser verdade. Hehe. Amarelinha era um ótimo jogo. A parte em que tinha que ir num pé só é que era brabo.

amarelinha

Bolinha de gude: tinha cada bolinha bonitinha, né?! Umas vinham com umas coisinhas que pareciam penas dentro, e tinha aquelas gigantes! Sei que tem a versão do jogo com um círculo desenhado no chão, mas eu me lembro só do mata-mata e do triângulo. Eu não jogava muito, mas gostava de ver o povo jogar

bola_de_gude

Cinco Marias: incrível como a gente podia se divertir com qualquer coisa! Cinco Marias era feito com…PEDRINHAS! Sim! Pedra brita e uma superfície plana e tava feito! Você tinha que jogar uma delas para cima e pegar outra; depois, jogava uma pra cima e pegava mais outra; por fim, chegava em um nível de jogar uma pra cima e pegar todas as outras. #tenso

Em tempo:uma amiga minha contou dia desses que jogava com trouxinhas de pano, com alguma coisa dentro (igual a foto abaixo)

brincadeiras-cinco-marias

Cabra cega: amarrar o olho de um amigo e rodar ele até que o coitado ficasse bem tonto, já fazia a nossa diversão. HAHAHA! Ver ele igual bobo atrás de todos, era sensacional! Uma maldade, claro, mas, S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L. Até que chegava a sua vez. Aí acabou a graça. HAHAHA!

download

Me conta um pouco das suas brincadeiras de infância? Se não for aqui nos comentários do blog, eu aceito via Facebook também. Eu sou legal. 😉

Por

Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia também