Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Virtudes e Valores

Humildade: é em família que aprendemos essa virtude

Qualidade deve ser valorizada em todas as relações sociais, principalmente no contexto familiar

A humildade é uma virtude que nem sempre é compreendida em sua essência. Ser humilde não significa estar em uma posição de inferioridade e muito menos está relacionado ao conceito de pobreza. O real significado da palavra diz respeito ao caráter do indivíduo.

Por que a espiritualidade é importante na educação dos filhos

A psicopedagoga Angela Cristina Candeo, especialista em desenvolvimento pessoal e familiar, explica que uma pessoa humilde revela a nobreza de seu caráter ao “despojar-se de falsas imagens sobre si mesmo, ser verdadeiro e, de forma consciente, assumir suas limitações reconhecendo que há sempre algo novo a ser aprendido com o outro”. É uma qualidade na qual todos se encontram no mesmo nível de dignidade, respeito, simplicidade e responsabilidade.

Ser humilde é uma característica que deve estar presente em todos os níveis de relacionamento da família – entre o casal, na relação dos pais com seus filhos e vice-versa. Angela salienta que ser humilde ajuda a tornar o indivíduo mais sensível, flexível e resiliente. No que diz respeito ao casal, este atributo contribui para adotar uma atitude gratuita e receptiva para com o outro, com reconhecimento de seus valores e limites e atenção às necessidades do parceiro. “Consiste na busca pelo diálogo e entendimento, sem arrogância ou prepotência”, afirma.

Pais devem ser o exemplo

A psicóloga Bianca Berlim Zambon observa que é com a humildade que a pessoa assume seus erros e os corrige para promover um convívio melhor. Os pais devem ensinar aos filhos que “o erro é a partida para a busca do acerto, dando o exemplo sempre”, ressalta Bianca. Mães e pais humildes abrem espaço para que os filhos compartilhem seus sentimentos e aprendam juntos a enfrentar os problemas, a ganhar e perder, promovendo a evolução do indivíduo, do casal e da família.

Os ensinamentos devem começar já na primeira infância e permear todo o desenvolvimento das crianças. A psicóloga Maísa Pannuti, mestre e doutora em educação e professora titular do curso de Psicologia da Universidade Positivo, esclarece que a humildade implica perceber a imperfeição e buscar aprimoramento.

Por que é preciso ensinar às crianças que humildade não é uma fraqueza

 

Diante dessa colocação, se o adulto tem uma atitude inadequada ou injusta, por exemplo, é essencial retomar a situação com a criança, pedir desculpas e explicar porque aquilo aconteceu. “Quando um adulto se desculpa e se retrata frente a criança, ela aprenderá a também desculpar-se e retratar-se, condutas admiráveis que devem ser construídas”, destaca.

Ao assumir suas falhas, os pais se aproximam e estabelecem uma relação de amor, respeito e confiança com seus filhos, criando um espaço de diálogo, escuta e entendimento. “Isso permite que os filhos aprendam a lidar com os dissabores e frustrações do dia a dia de forma tranquila”, pontua Angela.

O fortalecimento dos vínculos com honestidade e transparência influencia o comportamento das crianças na família e em sociedade e reforça o reconhecimento da importância das outras pessoas.  “Ser humilde não é ser medíocre. A humildade nos torna mais humanos, nos ensina a nos colocar no lugar dos outros, a ter empatia, para que possamos ser pessoas melhores”, acrescenta a psicóloga Bianca.

Humildade na prática

A família é a principal referência dos filhos e é no núcleo familiar que as pessoas agem naturalmente, de maneira autêntica, e estão mais receptivas ao aprendizado. As especialistas listam atitudes que reforçam o ensino da humildade no contexto familiar:

– Para se aprimorar como pessoa, é preciso reconhecer seus próprios limites, admitir seus erros.

– Enxergar o outro como alguém merecedor de respeito.

– Não se considerar superior a ninguém e ter consciência de que momentos de convivência familiar não seguem hierarquia de poder.

– Elogiar o outro e mostrar admiração ajuda a fortalecer os valores e vínculos familiares e validam futuras ações.

– Ouvir é fundamental. Os pais devem se comprometer com este momento de escuta.

– Pedir conselhos demonstra que cada um possui habilidades em diferentes áreas.

– Brincadeiras, atividades em grupo e esportes podem ser ferramentas para ensinar as crianças a serem humildes dentro e fora de casa.

***

Recomendamos também:

***

Acompanhe-nos nas redes sociais: Facebook Twitter | YouTube

 

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
2 Comentários
  1. Os dicionários costumam dar as definições do que já esteja em uso Popular. Mas não adianta, humildade não é SIMPLICIDADE. Por que não usamos a palavra Simplicidade? Se buscarmos a etimologia da palavra latina ‘humildare’, então terão a certeza que foi o Imperador Constantino com suas Cruzadas que HUMILHAVA e Dizimava quem não se declarasse Cristão. Ah, agora pegaram o que seja humilhar ou tornar humilde? Ainda não? Aos Cristãos que recorram às palavras de Cristo, que biblicamente jamais usou a palavra humilde, mas SIMPLES. Sabe, algo como Platão ter afirmado que as emoções e sentimentos estão no Coração, ridículo, usar isto só proporciona carga indevida, causando ataques cardíacos, e nem vale a desculpa de uso poético, linguagem afetiva etc… Ah, a memória está no Cérebro! Está nada, só os efeitos somáticos estão no Corpo, né Hipócrita AVC? Digo, Hipócrates. Não gostou, então aprenda o que seja a Psique, a Mente, a Memória eterna, independente do corpo. Mas tem gente achando que Deus, anjos e santos não possuem memória e sentimentos? Ah, estes materialistas! Procure e achareis, está ‘dentro’ de cada um.

Leia também