Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
crédito: instagram.com/travelmadmum/
crédito: instagram.com/travelmadmum/
Educação dos filhos

Bebê de dez semanas viaja pelo mundo com os pais durante dez meses

Karen Edwards e seu marido encaram sem medo a aventura de ser uma família mochileira, visitando os mais exóticos destinos levando no colo sua pequena Esmé

Quando alguém diz a uma mãe que aproveite bem a sua licença-maternidade, poucas pensam em fazer as malas e viajar o mundo. Mas foi o que fez o casal de Londres Karen Edwards e Shaun Bayes logo depois do nascimento da sua filha, Esmé. A história foi contado pelo jornal britânico Daily Mail.

Embarcando em um avião quando a pequena não tinha nem três meses, a família voou pelo mundo para explorar a Ásia e a Oceania, durante os dez meses da licença. A família fez apenas uma mochila, encaixotou seus outros pertences, vendeu o carro e pôs a casa para alugar – e Shaun deixou o seu emprego de jardineiro.

Karen diz que a sua família pensou que ela estava “completamente maluca” quando contou os planos. “Tanto eu quanto Shaun já tínhamos sido mochileiros antes da minha gravidez e todo mundo pensou que estávamos loucos quando dissemos que levaríamos Esmé. Ela se comportou muito bem e por ser muito pequena era muito fácil mantê-la na linha quando estávamos viajando”, contou Karen ao Mail Online. 

Na primeira viagem, os três visitaram Irlanda, Singapura, Austrália, Indonésia, Malásia, Vietnã, Taiwan e Hong Kong. Karen estima que a viagem custou cerca de dez mil libras, que foram pagos com a sua licença-maternidade e alguns trabalhinhos extras de Shaun na Nova Zelândia.

Karen Edwards, Shaun Bayes e sua filha Esmé, diante de um gêiser, na Nova Zelândia.
Karen Edwards, Shaun Bayes e sua filha Esmé, diante de um gêiser, na Nova Zelândia.

A mãe diz ainda que eles reservaram a maioria dos voos meses antes da partida da Inglaterra, enquanto tanto ela quanto Shaun ainda recebiam salários. Karen acrescenta que o custo da viagem coube no bolso porque o casal usou milhas aéreas.

“Não nos arrependemos nem um pouco. Ela pôde experimentar novas vistas, cenas e cheiros enquanto crescia e isso é incrível. A única coisa que senti que ela estava perdendo era não ter socializado muito com outras crianças”, conta ela.

Depois de voltar e passar um tempo em sua casa em Londres, a família embarcou novamente e visitou a Tailândia, o Camboja e a Nova Zelândia. Esmé já estava então com 17 meses. Karen diz que o grande desafio foi, nessa estadia em casa, encontrar formas de entreter a pequena.

“A parte mais estranha da viagem foi na verdade voltar para casa. Esmé não havia vivido em um lugar fixo por muito tempo, porque sempre estávamos mudando de hotéis e de quartos”, diz a mãe.

Karen admite que algumas vezes é difícil viajar com um bebê. Os principais problemas giram em torno de dividir um único quarto enquanto Esmé precisava dormir, ou quando a pequena tinha um ataque de choro. Não ter brinquedos o suficiente por perto também foi um problema.

Andando de barco nas águas da Indonésia.
Andando de barco nas águas da Indonésia.

“As pessoas dizem que ter um filho acaba com os planos de viajar, mas não é verdade. É claro que há momentos, como quando você está no quarto do hotel e quer tomar uma cerveja, e quando abre a lata o bebê acorda com o barulho. Isso torna a coisa mais difícil, mas vale a pena”, afirma Karen. “Não consigo imaginar como eu passaria a minha licença-maternidade de outra forma”.

Com a viagem, Karen começou um blog para compartilhar dicas sobre como viajar com os pequenos, chamado Travel Mad Mum. “Como pais relativamente novos, já estivemos em muitas viagens com nosso bebê. Muito pé na estrada, viagens de trem, voos de curta e longa distância, escalas, acampamentos e muito mais estão planejados para os próximos meses”, diz ela na página.

“O objetivo acima de tudo é inspirar os pais que amam viajar – seus dias de viagem não precisam acabar. Só é preciso incorporar essa pequena pessoinha em seu estilo de vida”, propõe Karen.

Oito dicas de Karen para quem quer viajar pelo mundo com um bebê

  1. Esmé fazendo pose no Vietnã.
    Esmé fazendo pose no Vietnã.

    Planeje com antecedência. Pesquise sobre as regiões que você quer visitar. Especialmente se há necessidade de vacinação. Nós visitamos países com baixo risco de contração de malária propositadamente.

  2. Faça as malas com o mínimo possível. Há coisas que levamos que poderíamos muito bem ter nos virado sem. Se você tem que pensar se precisa levar algo, nem leve. E escolha roupas como tecidos leves, que são confortáveis e ocupam menos espaço.
  3. Leve brinquedos novos. E carregue o tablet com aplicativos e joguinhos para os pequenos. Se você quer levar um bebê em sua viagem, você precisa de alguma bugiganga que o faça ficar quieto.
  4. Leve muitos petiscos. Em lugares como a Ásia não há tanta variedade de guloseimas como no Ocidente. Leve as favoritas da criança.
  5. Não se preocupe com as fraldas. Você pode comprá-las no seu destino.
  6. A amamentação é muito importante. Ainda não se sabe bem se a mãe transmite através dela a imunidade ganha em vacinas para viagens. Mas há muitos outros benefícios além desse.
  7. Não perca a oportunidade de experimentar algo novo. Em coisas como um mergulho, você e o seu marido podem se revezar.
  8. Nunca se assuste. Deixe o seu bebê experimentar comidas locais para desenvolver o seu paladar.

Veja mais fotos da aventura na conta da família no Instagram.

Com informações de Daily Mail.

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

 

Leia também