Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
15936407_1201416863305335_3430032110935188060_o
Defesa da Vida

Atos em defesa da vida movimentam o próximo domingo em várias cidades brasileiras

Na pauta dos protestos estão a ação que permite o aborto em caso de zika e a decisão do STF que julgou não ser crime o aborto até o 3º mês.

Grupos pró-vida em várias cidades do Brasil realizarão atos em defesa da vida no próximo domingo, dia 22 de janeiro. Entre elas estão Belém, Brasília, Fortaleza, Ibirité, João Pessoa, Manaus, Mauá, São Paulo, Niterói, Petrópolis, Rio de Janeiro, Piedade dos Gerais, Recife, Salvador e Campo Grande. Ainda, duas cidades no Sergipe recebem as manifestações no fim de semana seguinte: no dia 28, Aracaju, e no dia 29, Estância.

O alvo do Ato Nacional em Defesa da Vida é o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade, a ADI 5581, que abre a possibilidade de aborto para as grávidas com zika, e a decisão da primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) em 30 de novembro que considerou que o aborto até o 3º mês de gestação não é crime. Os grupos devem cobrar ainda a aprovação do projeto de lei 4754/2016, que define como crime de responsabilidade a usurpação de competências do legislativo por parte dos juízes do STF. Além disso, as manifestações estão apoiando a March For Life de Washington, que neste ano teve sua data alterada para o dia 27, para não coincidir com a posse do presidente Donald Trump.

Desde o ano passado uma petição online pede a anulação da decisão do STF. Juntamente a isso, uma lista com telefones e emails de deputados está circulando nas redes sociais e emails, para incentivar a população a cobrar aqueles em quem votaram para que se posicionem em relação ao assunto.

As organizadoras do evento contam que toda a ação realizada é válida para o objetivo de valorizar a vida. “Não estamos preocupados com a quantidade de pessoas. O que fizemos até agora foram manifestações pacíficas, panfletagens, vigílias, passeatas e temos até alguns grupos católicos rezando um terço público nessa intenção. Nossos atos rendem vídeos e fotos que ajudam na divulgação posterior e também temos o apoio de padres, políticos e artistas, em algumas cidades”, explica Fernanda Loureiro, voluntária pró-vida. A participação nas manifestações é aberta a todos.

****

Recomendamos também:

Save the Storks, a ONG que quer reimaginar o movimento pró-vida

20 discursos e documentos do papa Francisco contra o aborto

Estudo que nega problemas psicológicos após o aborto é refutado com seus próprios dados

****

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também