Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Foto: Bigstock
Foto: Bigstock
Casamento e Compromisso

As cinco fases do casamento

As uniões mais duradouras são aquelas em que o amor conjugal evolui e amadurece conforme as novas circunstâncias apresentadas pela vida

Ao longo do tempo, o matrimônio passa por cinco fases diferentes determinadas pelas circunstâncias vividas no momento e o desenvolvimento pessoal do marido e da esposa. Veja abaixo as características de cada etapa.

 

1ª fase: Transição e adaptação

São os primeiros anos do casamento. É a etapa fundamental em que se estabelecem as bases da relação. Durante esse tempo – normalmente os três anos iniciais da união – o casal se adapta a um novo modo de vida e por isso se deve valorizar a comunicação e a negociação. É importante discutir o projeto de família e estabelecer metas conjuntas.

Nessa fase acontecem ajustes importantes como a consolidação da independência do casal em relação às suas famílias de origem. Isso é fundamental para conquistar a autonomia necessária para passar às etapas seguintes do casamento.

É uma fase de aprendizado sobre o outro que requer paciência, confiança, tolerância e apoio dos cônjuges, durante a qual se estabelecem as regras de intimidade, gostos e preferências e se aprende a administrar as finanças conjuntas, o tempo e as tarefas.

 

2ª fase: Consolidação e chegada dos filhos

Depois de finalizada a lua de mel e o processo de adaptação, já há um maior conhecimento sobre o cônjuge, o que pode levar a desavenças mais ou menos frequentes de acordo com a maturidade adquirida pelo casal na primeira fase do matrimônio.

Agora o amor é acompanhado de mais razão, menos sentimentalismo e a vontade assume um importante papel para a manutenção do compromisso entre os cônjuges.

É nessa fase que a maioria dos casais se transforma em pais. Isso implica em novas responsabilidades e nova organização de papeis. Nessa etapa é importante evitar que o cuidado requerido pelas crianças ou as exigências do trabalho resultem em um distanciamento gradual entre a esposa e o marido.

 

3ª fase: Transformação

Costuma acontecer entre os 10 e 20 anos do casamento e pode coincidir com a adolescência dos filhos e entrada dos esposos na meia idade. Como a meia idade marca um período de reflexão e renovação da vida adulta, é importante que se chegue a ela com uma boa disposição física e mental, bem como com um casamento saudável.

Nessa fase os esposos devem encontrar maneiras para contornar os problemas que surgem em relação à criação dos filhos de modo a não prejudicar a união conjugal. O desafio é ser criativo e evitar cair na rotina, sempre perigosa para a vida a dois. Recuperar os pequenos gestos de gentileza mútua – caso estes tenham ficado em segundo plano –, compartilhar hobbies e atividades, bem como aproveitar os momentos a dois, longe dos filhos, são dicas importantes para essa fase.

 

4ª fase: Estabilização e ninho vazio

Normalmente acontece entre os 20 e 35 anos de união. É nessa etapa que o casal pode enfrentar a síndrome do ninho vazio, quando os filhos saem de casa. Para algumas pessoas, é uma situação mais dramática, acompanhada por um sentimento de solidão por causa do afastamento dos filhos.

A vida a dois ganha nova dimensão, pois já não há mais os filhos por perto a todo momento. Como já se conhece plenamente o cônjuge, é mais fácil dialogar, tolerar melhor as diferenças, rir dos erros mútuos e fazer críticas de modo amável. Pode-se investir mais tempo em atividades a dois que fortaleçam a vida matrimonial.

 

5ª Envelhecer juntos

Nessa fase muitos cônjuges optam pela aposentadoria do trabalho, o que permite usufruir de mais tempo na companhia do marido ou da esposa. Pode-se realizar atividades que não eram possíveis devido aos compromissos profissionais e pode surgir uma nova motivação: os netos. Os pequenos trazem nova luz e fonte de felicidade ao casamento nesta etapa.

Durante esta etapa, os cônjuges têm muita necessidade de apoio e carinho do outro. Os conflitos tornam-se bem menos frequentes, pois praticamente não há mais brigas sobre autoridade ou intimidade.

 

Com informações do site LaFamilia.info.

****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também