Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Saúde

6 maneiras pelas quais os seus irmãos afetam a sua saúde

Estamos ligados a eles pela vida toda e, mesmo inconscientemente, nossos irmãos ajudam a definir o tipo de pessoa que somos

 

Não importa se eles são os seus melhores amigos para tudo ou se vocês não podem estar no mesmo lugar sem discutir: é inegável que você está ligado aos seus irmãos por toda a vida. Amigos vêm e vão, mas os irmãos estão presentes em todo o trajeto. Você passa um bom tempo perto deles: um estudo diz que, aos onze anos, as crianças passaram um terço do seu tempo com seus irmãos. Faz sentido então dizer que eles ajudam a moldar a pessoa que você se torna. O site Motto fez uma seleção de estudos que mostram como eles fazem você ser quem você é, em cinco pontos.

 

  1. Eles podem influenciar no seu peso

Embora seja bem conhecido que a obesidade se desenvolve conjuntamente na família, a pesquisa sugere que os irmãos desempenham aí um papel especial. Em um estudo de 2014, pesquisadores da Sanford School of Public Policy da Duke University descobriram que nas famílias em que o filho mais velho é obeso, o filho mais novo tem cinco vezes mais chances de desenvolver obesidade, independentemente se os pais são obesos ou não. Os autores do estudo acreditam que isso se deve parcialmente ao fato de que a dieta e o estilo de vida dos irmãos mais novos tendem a ser modelados a partir do irmão mais velho.

A diferença de idade parece ter também algum efeito. Em um recente estudo publicado na revista Pediatrics, os pesquisadores perceberam que crianças que ganham um irmãozinho antes de entrar no primeiro ano da escola são “significativamente menos propensas” a se tornar obesas mais tarde. A autora do estudo, Julie Lumeng, professora da Universidade de Michigan, especula que acontece porque crianças com um irmão menor costumam ser fisicamente mais ativas.

 

  1. Eles moldam a sua personalidade

É uma crença comum que a ordem dos nascimentos afeta a personalidade de cada irmão. Ouve-se falar da “síndrome do filho do meio”, por exemplo, e que primogênitos são líderes naturais. Mas essas teorias nem sempre são referendadas pela ciência. Um estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences não conseguiu descobrir um padrão claro de personalidade que corresponda à ordem do nascimento. Ainda assim, há evidências de que você e o seu irmão moldam um ao outro.

Muito foi escrito sobre o processo de definição da própria identidade e que dois irmãos, geralmente de idades próximas, esforçam-se, consciente ou inconscientemente, para parecerem diferentes um do outro. “Através desse processo, os irmãos desenvolvem atributos distintos e se engajam em atividades diferentes com o fim de firmar a sua identidade única dentro da família”, escreveram os autores de um estudo de 2007 publicado no periódico Social Development. Por exemplo, se a sua irmã é uma estrela do atletismo, talvez você procure se focar no mundo acadêmico. Se o seu irmão é quieto e tímido, talvez você faça um esforço para ser mais extrovertido.

Aqui a configuração da família faz a diferença: um estudo identificou que isso costuma acontecer mais comumente em famílias com dois filhos. Em famílias com três filhos, costuma ocorrer mais entre irmãos do mesmo sexo do que naqueles do sexo oposto.

 

  1. Eles são os seus primeiros professores

Os irmãos também ajudam um ao outro a aprender a como lidar em algumas situações. “Os irmãos fornecem uma prática diária em compreender a cabeça do outro”, escreve Jonathan Caspi em seu livro Sibling Development. Laços fortes entre os irmãos se mostraram úteis para ajudar as crianças a se relacionar com sucesso com os seus pares na escola. Além disso, ter um irmão do sexo oposto pode até mesmo ser uma vantagem na hora do namoro. Em um já clássico estudo, publicado em 1983, William Ickes mostrou que estudantes universitários que têm um irmão do sexo oposto tiveram mais facilidade para conversar com potenciais parceiros românticos.

Além disso, ter um irmão mais velho com um coração bondoso pode incrementar o conhecimento. Um estudo de 2014 publicado no jornal Pediatrics pesquisou 385 crianças em idade pré-escolar e percebeu que, mesmo que crianças com vários irmãos geralmente tenham tido resultados piores em um teste de vocabulário, a diferença não existia quando elas tinham irmãos mais velhos “cognitivamente sensíveis”.

 

  1. Eles podem salvar o seu casamento

Acredite ou não, ser parte de uma grande família pode fazer com que você seja menos propenso a se divorciar. É o que concluiu um estudo de 2013 da Ohio State University que coletou dados de 57 mil americanos em um período de 40 anos. As descobertas mostraram que para cada irmão que uma pessoa tem, as suas chances de se divorciar diminuem 2% – se você tem cinco irmãos, isso diminui em 10% o risco de você se divorciar, portanto. “Ter mais irmãos significa ter mais experiência em lidar com os outros, e isso parece dar uma ajuda a mais quando se é casado”, diz a coautora do estudo, Donna Bobbitt-Zeher.

 

  1. Eles podem aumentar as suas chances de depressão

Embora sejam naturais as brigas de irmãos, o motivo da disputa pode ter maiores implicações em sua saúde. Um estudo de 2012 da Universidade do Missouri descobriu que irmãos que costumam discutir sobre questões como a igualdade e justiça com que são tratados experimentam níveis mais altos de depressão um ano depois. Já irmãos que brigam por causa de espaço pessoal tem um risco maior de desenvolver ansiedade ou baixa autoestima. O estudo se focou em adolescentes de 12 a 15 anos, mas outros pesquisadores sugerem que uma relação problemática entre irmãos pode ter repercussões na vida adulta.

Em um estudo publicado na revista Am J Psychiatry, constatou-se que o conflito entre irmãos na infância aumenta a ocorrência de depressão profunda e uso de remédios para alteração do humor por volta dos 50 anos de idade. Os pesquisadores acompanharam 229 homens por 30 anos, começando quando eles tinham 20 anos, e avaliaram os relacionamentos com os seus irmãos baseados em seu nível de proximidade e de rivalidade e conflito. No começo do estudo, todos os homens foram considerados em excelente estado de saúde mental. Mas quando atingiram os 50 anos, participantes que tinham relatado relações “distantes ou destrutivas” com os irmãos quando eram mais novos tinham uma significativa tendência à depressão. Os pesquisadores ainda constataram que isso acontecia independentemente do histórico familiar de depressão.

 

  1. Mas eles também podem aumentar a sua felicidade

Não é surpresa nenhuma que ter uma relação calorosa e livre de conflitos com os seus irmãos é algo ótimo. Relações próximas entre irmãos são frequentemente associadas a níveis mais baixos de solidão e depressão e uma autoestima mais alta. Em seu livro, Caspi discute a importância de sistemas de apoio aos irmãos que são formados na infância: “Mesmo na infância, o irmão se volta com confiança para o irmão maior buscando conforto em um momento difícil”, escreve ele. Na medida em que eles crescem, esses laços são a chave para que os irmãos se ajudem em meio às dificuldades da vida, sobretudo aquelas que compartilham, como a morte do pai ou da mãe.

De fato, um estudo sueco com idosos na faixa dos 80 anos encontrou uma correlação entre participantes que dizem ter tido um relacionamento feliz com os seus irmãos e a sua satisfação geral com a vida.

 

Com informações de Motto/Time.

Colaborou: Felipe Koller.

Leia também