Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Beautiful Snow Queen Reading a Book
13010153_1316171381746165_1556056633_o
Ana Clara, Bárbara, Bia, Letícia B, Letícia Q, Lolô, Nat e Teresa

Reginas

Reflexões para mulheres reais

Como ser feliz com 1,2,3… filhos?

Conheça o incrível testemunho de Rosa Pich, mãe da família espanhola que foi protagonista do Documentário da BBC “The Biggest Family in the World”, em 2015.

oi

Alegria e bom humor são os traços que se destacam em Rosa Pich-Aguilera Roca, mãe de 18 filhos. Quem acompanha o seu instagram @comoserfelizconunodostreshijos logo percebe o quão cativante é a família Postigo Pich. Não é pelo “simples” fato de ser a maior família em idade escolar da Europa*, mas também por servir de exemplo a tantas pessoas, pelo modo leve de viver a vida. Como Rosa sempre diz: “La vida es bella. Muy bella”.

A ideia de escrever um livro surgiu de uma amiga de Rosa. Acostumada a viajar muito para dar palestras, recebeu o conselho de que deixasse registrada sua experiência numa obra, para poder alcançar mais pessoas ao redor do mundo. Esse plano deu tão certo que o livro já está em sua 5ª edição, e já foi traduzido para quinze idiomas.

O sonho de ter uma família numerosa partia tanto de Rosa quanto de Chema, seu marido. Ao se casarem, ela com 22, ele com 28, eles sabiam que queriam ter em casa aquilo que viveram em suas respectivas famílias. Ambos tiveram muitos irmãos, e queriam que seus futuros filhos experimentassem essa grande e maravilhosa aventura que é a família numerosa.

Ocorre que esse sonho não foi fácil de conquistar, a começar pelos três primeiros filhos. A primeira filha, Carmineta, nasceu com problema cardiovascular, e os médicos deram a ela pouco tempo de vida. Felizmente ela conseguiu se desenvolver bem, sempre com supervisão, mas faleceu recentemente, com 22 anos. Foi uma grande perda para a família. O segundo filho, Javi, morreu com 1 ano e meio, também em razão de um problema cardiovascular. A terceira filha, Montsita, nasceu sem aorta e faleceu dez dias depois do parto. Conta Rosa que em menos de quatro meses enterraram dois filhos, enquanto a primeira estava em situação de risco. Foi uma época muito dolorosa, segundo a autora.

Os médicos, familiares e amigos os aconselharam a não ter mais filhos, já que todos haviam nascido com algum tipo de enfermidade relacionada ao coração. Era verdade, mas o jovem casal decidiu confiar em Deus e seguir firme a aspiração de terem muitos filhos. Logo em seguida vieram 15 filhos, que, como Rosa diz: vivem!

foto familia

Mas Rosa, qual é o seu segredo? Como você consegue trabalhar meio período e ainda ter tempo de administrar um lar? Ter muitos filhos nos tempos atuais é loucura! E a questão financeira? Essas e outras perguntas cativam o leitor a se adentrar no testemunho de Rosa transcrito em seu livro. Carregado de bom humor e leveza, a obra é repleta de exemplos cotidianos que servem de conselhos a qualquer um, seja no campo educacional, familiar ou afetivo.

Abaixo escrevo alguns costumes vividos pela família Postigo Pich que prendem a atenção do leitor do começo ao fim. (Elenquei só algumas para que vocês tenham curiosidade e leiam o livro)

  1. “Cada oveja com su pareja”: se todos os filhos se apoiassem somente nos pais, seria impossível dar a atenção e a assistência devida. Imaginem que um filho não sabe onde colocou a escova de dentes e fosse acudir à mãe? E que outro não sabe fazer o exercício de matemática e precisasse perguntar ao pai? Por isso, cada filho pequeno tem sua “dupla”, que corresponde a um filho mais velho. Nos passeios, no caminho da escola, uma criança estará sempre acompanhada e receberá ajuda da sua “ovelha”, que é um dos irmãos jovens. Assim, se precisar de algo material, pontual, procura por sua ovelha. É claro que isso não exclui a importância de os pais terem um tempo exclusivo com cada filho.
  2. Propósitos de melhora pessoal: mensalmente a família se reúne em uma “Assembleia Democrática”, como chama Rosa, para escrever em uns papeizinhos sobre o ponto que cada um precisa melhorar. O mais novo, por exemplo, tem como meta para o mês de falar mais “por favor”, a filha de 20 anos, precisa interromper menos as conversas, Rosa precisa ser menos “mandona”, e assim por diante. Os papéis ficam na parede da cozinha e são novamente revisados na próxima “assembleia”, onde todos opinam se aquele determinado irmão conseguiu vencer o defeito e conquistou a respectiva virtude. Nesse clima de ajuda mútua, os filhos percebem que todos devem buscar sempre o crescimento pessoal e estabelecer propósitos de melhora, inclusive a mamãe e o papai.
  3. Tarefas e encargos: numa família de 17 pessoas, para que tudo funcione bem e de forma ordenada, o trabalho deve ser bem distribuído. Antes de sair para o colégio, os quartos devem estar arrumados, as camas feitas e os pijamas dobrados (nessa supervisão vale a regra ‘cada oveja con su pareja). Além das tarefas comuns, como essa, há também distribuição de encargos, igualmente votados em Assembleia, de acordo com cada idade e situação. Os filhos menorzinhos, por exemplo, ajudam a estender as meias no varal baixo da casa, comprado especialmente para isso. Um que seja mais velho, tem o encargo de colocar a mesa do café, e assim por diante. Quanto à comida, todos ajudam a cozinhar e fazem um revezamento na semana.
  4. Refeições em família: a mesa redonda propicia um ambiente de conversa mútua. Não são permitidas conversas “paralelas”, pois o assunto de um deve interessar aos demais. Todos tem a chance de contar um pouco do seu dia, sobre algo que o alegrou ou entristeceu. As refeições são momentos “sagrados” de união da família.

Além dessas dicas, há muitas outras. No fundo, para ter uma família numerosa e feliz, o amor deve ser o motor principal. E esse amor transborda nas páginas do livro, pelo modo como Rosa conta de sua vida e do grande tesouro que tem. Como o próprio título expressa, a maneira que vivemos pode definir se alcançaremos ou não a tão estimada “felicidade”.

Quem começa a ler não tem vontade de largar. Fazia tempo que não ficava tão cativada por um livro. Tenho certeza que é uma riqueza para qualquer um, independentemente de ter uma família de um, dois, três…..filhos.

Obs: Em março de 2017 faleceu Chema Postigo. Apesar dessa grande perda, Rosa continuou forte para levar a família adiante.

Conheça o Blog de Rosa Pich: https://comoserfelizconunodostreshijos.com/blog/

Para comprar em português: pela Editora Paulinas (não encontrei o site)

Para comprar em espanhol: http://www.quadrante.com.br/como-ser-feliz-con-1-2-3-hijos

Por

Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia também