Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Primeiro dia de trabalhos da assembleia em Cancún. Foto: Alberto Viveros/OEA
Primeiro dia de trabalhos da assembleia em Cancún. Foto: Alberto Viveros/OEA
Casamento e Compromisso, Sociedade

OEA recebe petição com 70 mil assinaturas para banir termos relacionados à agenda LGBT

Segundo a fundação CitizenGo, que promoveu o abaixo-assinado, esses termos são “ambíguos” e não têm “aval internacional”.

A fundação CitizenGo, um site de petições online, apresentou um abaixo-assinado com 70 mil assinaturas coletadas em menos de duas semanas a delegados dos diversos países que se reuniram na última semana (19-21/06) em Cancún, no México, para a 47ª Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA). A exigência da petição é clara: que se elimine “qualquer referência ao coletivo LGBT ou a ‘orientação sexual e identidade de gênero’”.

Segundo a fundação, esses termos são “ambíguos” e não têm “aval internacional”. “Pretendem apenas fazer avançar a agenda LGBT: ‘casamento’ entre pessoas do mesmo sexo, adoção gay, doutrinação LGBT na escola, proibição das terapias homossexuais e censura à liberdade religiosa”, destacou o texto.

Defender a família é obrigação do chefe de Estado, diz Putin sobre lei que pune propaganda gay

O diretor de campanhas da CitizenGo, Luis Losada, chegou à sede do evento a bordo do “ônibus da liberdade”, um veículo com a inscrição: “Deixem as crianças em paz! #ComMeusFilhosNãoSeMetam! É perverso dizer às crianças que desde os dez anos podem fazer sexo com adultos e abortar. Sem conhecimento de seus pais! Na educação, biologia, e não ideologia de gênero!”

O ônibus chegou ao México na semana anterior e, antes de se dirigir a Cancún, passou por alguns lugares da Cidade do México como a residência oficial do presidente do país e a Suprema Corte. Segundo o Conselho Mexicano da Família (ConFamilia), que colaborou com a CitizenGo na ida do ônibus para o México, o veículo foi detido duas vezes por autoridades policiais em Cancún, sem maiores explicações, e os documentos de quem estava a bordo foram retidos.

Para o ConFamilia, essas medidas mostram “a intolerância dos ‘tolerantes’”. Losada, por sua vez, assegurou que a mensagem do ônibus é clara: “Defende direitos e liberdades frente à ideologia de gênero que invade as escolas”, disse.

Com informações de Aciprensa.

***

Recomendamos também:

Defender a família é obrigação do chefe de Estado, diz Putin sobre lei que pune propaganda gay

Deputados romenos aprovam projeto que blinda o país contra o casamento gay

Milhares vão às ruas de Paris pedir a revogação da lei que autorizou o casamento gay

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também