Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
blog3
19642500_1765741626774782_6304612996758915190_n
Angélica Favretto

Mil Novecentos e Bolinha

Um blog nostálgico

As férias de verão da nossa infância

Praia, 15 dias na casa da vó, brincadeira de rua com os amigos com direito a marquinha de chinelo nos pés: as férias da nossa infância eram realmente demais!

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Ah… as férias de verão! Quando se é criança, a chegada dessa estação é sinônimo de mais dias longe da escola, de chegada dos primos de longe, de dias na casa das avós, de poder assistir desenho de manhã sem se preocupar com a vida e de brincar o quando der com os amigos da rua. Bom…pelo menos essa é a lembrança que tenho das minhas férias de verão na década de 90. Hoje eu sei que muitas crianças não têm as mesmas oportunidades.

Em muitos verões da minha infância, uma das minhas tias vinha da cidade dela no Mato Grosso do Sul para ir às praias aqui do Sul. Não me lembro se era sempre Santa Catarina ou se ficávamos aqui pelo Paraná mesmo. E quando ela vinha, trazia os meus cinco primos, o que significava casa lotada na praia. E casa alugada, ou seja, era com a estrutura que vinha e pronto. Os quartos eram quase sempre para os adultos, o que significava que a sala ficava para os mais novos. E lá dormíamos nós, em colchões largados pela casa.

Já em outro verões, a gente descia para o litoral com a família do meu pai, que é daqui de Curitiba mesmo. E eu tenho tios bem engraçados, o que rendia muita risada a viagem toda. A casa também era alugada e a distribuição de colchões seguia a mesma lógica, ou seja: dormir na sala era o meu destino.

E se tem uma coisa que não muda nunca é a alegria de criança na praia. Eu voltava encardida de lá e com um saco de conchinhas sempre! Até hoje eu guardo algumas quando vou para lá, mas meu apego àquelas coisinhas era muito maior na infância. Comer crepes e churros na areia da praia, tomar picolés Frutilli que às vezes estouravam na boca, em outras tinham palitinhos coloridos que viravam chaveiro…UMA FESTA! \o/ E as feirinhas de praia? Para você comprar aquelas camisetas com golfinhos, smiles, florzinhas e o nome da cidade que você foi? A compra já vinha com o atestado de “vou usar três vezes e largar num canto da casa”. E os chaveiros e imãs de geladeira? HAHAHA!

Toda felizinha com um maiô verde canetinha marca texto. =P (Arquivo pessoal)
Toda felizinha com um maiô verde canetinha marca texto. =P (Arquivo pessoal)

Mas aí a gente volta da praia, porque os pais precisam trabalhar. E aí um dos meus destinos era a casa da avó. Eu chegava a ficar 15 dias numa delas! Rotina em casa de vó é uma coisa de louco: passeio com a vó para tomar sorvete, idas ao mercado, comida gostosa e diferente, auxílio para a vó na limpeza da casa e nas atividades feitas no quintal e, no meu caso, fuçar o quintal e o caminhão do vô, que foi caminhoneiro a vida toda. Mas essa parte do vô era só entre os intervalos de viagens dele. Era demais!

Nos intervalos de passeios na vó, ida à praia e outra programação das férias, os amigos da vizinhança precisam ser lembrados. A rotina em casa nas férias incluía assistir desenhos super legais na TV (eu ficava entre Globo, Cultura e Record) e me divertir na rua. Montar casinha no quintal com as amigas, andar de bicicleta, jogar bets e futebol na rua, pular elástico e corda. Tem um outro post meu que fala só de brincadeiras da infância. Dá uma olhada aqui. Como a vida era divertida e a gente não sabia, né? Ficava tanto tempo na rua, que chegava a ter marca das tiras do chinelo no pé. Entrava à noite para tomar banho, que saía uma água preta do corpo! Cansada, dormia igual pedra para o próximo dia de aventuras.

Olha só como a vida era divertida!

Brincar de boneca o dia todo...
Brincar de boneca o dia todo… (Arquivo pessoal)

 

Aproveitar a água da chuva que fazia poça na rua… (Arquivo pessoal)

 

E andar de bicicleta, claro! (Arquivo pessoal)

Ah….as férias de verão.

Por

Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia também