Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
blog3
19642500_1765741626774782_6304612996758915190_n
Angélica Favretto

Mil Novecentos e Bolinha

Um blog nostálgico

6 filmes dos Trapalhões para recordar

Se você também adorava assistir aos filmes deles na Sessão da Tarde, aqui vai uma pequena lista e a dica de um canal do Youtube com vários outros para aproveitar!

ostrapalhoes.net
ostrapalhoes.net

Em julho deste ano, uma nova versão dos Trapalhões começou a ser transmitida pelo Canal Viva. Desta vez não é só um programa em que Didi faz brincadeiras com alguns amigos, mas uma turma que veio com as características que lembram, até mesmo fisicamente, os personagens de Didi, Dedé, Mussum e Zacarias. O legal (ou não) é que as cenas e piadas são muito parecidas com aquelas que víamos no programa dos Trapalhões originais. Claro que nessa versão os verdadeiros Didi e Dedé aparecem, mas agora eles fazem companhia aos outros. Há quem diga que os novos Trapalhões não têm graça alguma e há aqueles que achem que foi uma ótima ideia fazer o humor sem muitas preocupações, de antigamente. Eu até que gostei. 😀

Então, nesse clima de lembranças dos Trapalhões, resolvi resgatar alguns dos filmes deles que fizeram a alegria das tardes da Sessão da Tarde. Dependendo da sua idade, talvez você tenha até ido ao cinema para assistir alguns deles, mas eu vi mesmo pela Rede Globo, à tarde. Não achei os trailers dos filmes, mas, sim, os filmes inteiros, no Youtube! Estão no canal “Os Trapalhões Para Sempre” , então, caso você queira ver alguns deles além dos quer trago aqui…APROVEITA! \o/

 

– Os Trapalhões e a Árvore da Juventude: esse foi o primeiro filme feito depois da morte de Zacarias (em 1990) e também o último do Mussum, que faleceu alguns anos depois, em 1994. O filme se passa na Amazônia, onde Didi, Dedé e Mussum são guardas florestais bastante atrapalhados. Lá eles lutam contra a ação de contrabandistas e têm a ajuda da engenheira Juliana, que é vivida pela Cristiana Oliveira, e mais alguns estudantes. Durante às lutas contra os bandidos que querem levar a madeira das árvores da Amazônia, uma fonte da juventude aparece. Ela está localizada no interior de uma caverna, perto de uma grande árvore. E o que acontece quando se bebe da água dessa fonte? Você volta a ser criança. Na época em que o filme passava na tevê eu achava engraçado eles acharem bom ser criança de novo, mas olha que hoje eu bem queria uma fonte daquelas. HAHAHA!

 

– Os Trapalhões e o Mágico de Oróz: a falta de comida no Nordeste fez com que Didi e seus dois amigos procurassem um lugar melhor pra viver. Eles literalmente levam a casa embora, em cima de uma charrete, e partem em busca de uma cidade melhor.  É durante o trajeto que eles vão encontrando personagens que são semelhantes aos do filme original, “O Mágico de Oz”: o Homem-de-Lata que na verdade é o Mussum e que desejava um coração para poder ser mais feliz; o Leão, que é o Dedé, um delegado covarde, e o Espantalho (que é uma gracinha), interpretado pelo Zacarias, e que queria muito um cérebro para ser uma pessoa comum. Juntos eles enfrentam, com a ajuda do mágico Oróz, um malvado coronel que estava comercializando a pouca água existente na cidade de onde eles vinham. Com a ajuda do mágico, o Didi e os novos amigos vão até o Rio de Janeiro onde encontram uma torneira gigante que pode salvar a cidadezinha e a levam junto. Só que chegando, percebem que sem encanamento não tem água e isso revolta a população que condena eles. Por fim o que os salva é a chuva. Ah! A Xuxa participa desse filme. 😀

 

 

– O Casamento dos Trapalhões: HAHAHA! Eu adoro quando o Didi coa o café pela manhã da meia dele. HAHAHA! E o início que é formato de desenho animado? Uma belezinha! A história fala sobre quatro irmãos (Didi, Dedé, Mussum e Zacarias) que vivem em um sítio. Um dia o Didi vai até uma cidade próxima e conhece Joana, que se apaixona por ele após uma briga com um cara durão de lá, chamado Expedito. Joana segue Didi até a casa dele e eles resolvem se casar, mesmo com Joana não se sentindo muito à vontade com as maluquices dos irmãos do Didi. Mas ela vai com jeitinho e consegue educar os meninos, deixando eles mais “polidos”. Quando todos ficam melhores, a irmã dos meninos avisa que seus filhos estão indo para o rancho, porque vão tocar e cantar na festa de rodeio local. Quem são os filhos? O GRUPO DOMINÓ, MINHA GENTE! HAHAHA! Enfim. Lá na festa eles conhecem algumas meninas, começam a namorar e todas vão para o rancho juntos. Só que o tal Expedito descobre onde eles moram e resolve atacar o lugar.

 

– Os Trapalhões no rabo do cometa: esse filme conta com a participação do Maurício de Sousa, que desenha os personagens. No início do filme eles estão em um teatro fazendo uma apresentação, e recebem o Maurício de Sousa que faz algumas imagens deles. Ele conta para os quatro, que existe um mágico que está esperando um certo cometa passar para poder dominar o mundo. É claro que os meninos não acreditam, mas é aí que do papel, sai o tal bruxo e a história começa. O filme é uma viagem por diferentes épocas.

 

– A filha dos Trapalhões: a miséria é companheira constante dos Trapalhões no início desse filme. Juntos, eles moram em um barco flutuante até que um dia encontram um bebê abandonado e decidem cria-la. A bebê é filha de Julia, interpretada por Miriam Rios e de um pai que nem sabe de sua existência. Ela é obrigada a vender a criança para um casal que trafica bebês e quando se dá conta do que acontece, ela vai atrás da criança que é colocada em um cesto, mas que é perdida durante a fuga de um dos funcionários do casal. A bebê ao ser encontrado pelos Trapalhões é tratada como filha. Muito anos se passam e os meninos começam a trabalhar em um circo onde, por coincidência, também trabalha Julia. Com a ajuda dos Trapalhões as duas se reencontram, mas antes disso, eles enfrentam aqueles mesmos bandidos que pegaram a menina no passado. Nesse filme até o Ronnie Von aparece!

 

– Os Saltimbancos Trapalhões:  aqui os quatro amigos trabalham no Grand Circo Bartholo, como contrarregras. Só que eles são tão atrapalhados e fazem tanta bobeira quando aparecem em público, que eles viram atração do lugar. Só que eles são bem ingênuos e aí acabam sendo explorados pelo dono do circo. Didi é apaixonado pela filha do chefe, a bailarina Karina, que é interpretada pela Lucinha Lins, só que ela é namorada de um dos acrobatas. Esse acrobata é o amor da vida da domadora de leões e assistente do mágico Assis Satã. O mágico é sócio do dono do circo e juntando isso ao ciúme que está sentindo, ele inventa uma história de que o acrobata está incentivando os Trapalhões a saírem da vida que levam e então conta ao dono do circo que vai dar um jeito de afastar o artista de Karina. A condição é ele ter maior parte nos lucros. O plano do mágico acaba dando certo e ele ainda fica com todo o dinheiro do circo. Karina e os meninos acham por bem se mudar para a cidade grande, procurando uma vida melhor, já que os Trapalhões estão desiludidos e a bailarina acha que foi abandonada pelo namorado. Apesar da dureza da vida nas ruas, junto com outros artistas do circo eles conseguem juntar um bom público e lucrar com um bom espetáculo. Assim eles conseguem pedir ao dono do circo melhores condições de trabalho e ainda resgatam o namorado de Karina. Inclusive Didi é convidado a ser padrinho do casamento deles, o que o entristece, mas ele acaba entendendo. Em 2014 foi lançada uma nova versão da história, agora adaptada para o teatro e, em 2017, o espetáculo se tornou um novo filme. (confuso? Haha)

 

Por

Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia também