Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Casal de pais lê para seu filho bebê
Casal de pais lê para seu filho bebê
Educação dos filhos

Por que a leitura deve ser estimulada desde os primeiros meses de vida

Durante os primeiros meses de vida os bebês desenvolvem uma parte importante do cérebro e a leitura estimula esse processo

Ler para seus filhos pode ser muito mais importante do que você imagina. Reservar alguns minutos todos os dias para a leitura para bebês ajuda no desenvolvimento socioemocional e no da linguagem dos pequenos. É isso o quem vem defendendo a Associação Americana de Pediatria (AAP) desde 2013.

Durante os primeiros meses de vida os bebês desenvolvem uma parte importante do cérebro e a leitura estimula esse processo. Além de reforçar a relação entre pais e filhos, ler em voz alta, conversar e cantar para as crianças ajudam a prepará-las para a alfabetização.

Para a médica Ana Maria Costa da Silva Lopes, da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a recomendação dos médicos norte-americanos faz sentido, mas indica o esquecimento de uma prática que antes fazia parte do cotidiano das famílias. “Infelizmente, os médicos estão tendo de prescrever o básico da relação humana. Coisas que já fizeram parte de uma tradição e que não deveriam ter sido perdidas”, pondera.

Os testes que todo bebê recém-nascido deve fazer

O ideal é estabelecer uma rotina para as leituras e preparar-se para o momento, evitando distrações externas, como televisão, aparelhos de som e celulares. Isso ajuda a fazer com que o bebê possa prestar mais atenção à voz dos pais. O tempo de duração da leitura pode variar de acordo com a capacidade de atenção da criança e a rotina da casa. Crianças muito ativas podem deixar de prestar atenção à leitura em poucos minutos.

O tom usado para a leitura deve ser o mais natural possível, a menos que se esteja interpretando um personagem. As palavras devem ser pronunciadas calmamente, para que a criança se acostume com a sonoridade de cada sílaba. Em alguns casos, é bom o leitor explicar à criança os significados de determinadas palavras ou a situação dos personagens.

Nove clássicos da literatura infantil que toda família deveria ler

Além do desenvolvimento da linguagem, os livros podem ser usados para que a criança aprenda a trabalhar com as próprias emoções e sentimentos, como explica a doutora em Educação Elisa Dalabona. Nas histórias do Lobo Mau, por exemplo, é possível tratar do medo, e, no caso das irmãs da Cinderela, a rejeição. Para ela, os estímulos da leitura podem fazer a diferença na vida da criança e também dos pais. “Quando a criança sente o prazer da família em contar aquela história, ela retribui isso”, resume.

 

Confira algumas dicas para fazer da leitura uma prática

  • Mantenha os livros à disposição da criança. Eles devem ser manipulados como os demais brinquedos. De preferência opte pelos feitos com materiais mais resistentes. Hoje, por exemplo, há opções de livros feitos de plástico que podem ser até usados na hora do banho.
  • Crie uma rotina. Estabeleça um horário para ler para a criança, como a hora de dormir, por exemplo. Mas não restrinja a leitura a ela. Você pode ler para o seu filho em outros momentos também de acordo com a disponibilidade de tempo e com o interesse da criança.
  • Cantos e rimas. Livros com poemas e musicalidade podem ajudar a atrair a atenção de crianças pequenas. Cantar também pode ter os mesmos efeitos que a leitura para bebês nos primeiros anos de vida.
  • Interprete os personagens. Ler com emoção, dando a entonação correta às frases, e criar vozes diferenciadas para personagens ajudam a criança a aprender a distinguir e identificar emoções e sentimentos.
  • Além do livro. Para quem quiser diversificar, há muitas opções de livros interativos ou feitos com materiais alternativos. Há outros com acessórios como fantoches ou brinquedos que podem conquistar os pequenos.
  • Converse sobre a leitura. Para crianças que já falam, fazer perguntas sobre os personagens ou sobre a história ajuda a desenvolver a capacidade de interpretação e o interesse pela leitura.
  • Dê o exemplo. Deixe que a criança veja você lendo. Ao ver que os pais têm interesse por livros e dedicam tempo à atividade, as crianças também vão querer ler. E evite reclamar caso precise ler alguma coisa para não dar a impressão à criança de que a leitura é algo pouco prazeroso.
  • Considere a idade da criança. Na hora de escolher um livro, opte por aqueles adequados à fase de desenvolvimento do pequeno, principalmente em relação à linguagem. Livros com palavras muito complicadas podem desestimular a criança.
  • Lendo para os mais crescidos. Mesmo após a criança aprender a ler com fluência, a leitura em voz alta feita pelos pais continua a ser uma atividade altamente indicada. Nesse caso, os pais podem optar por um livro mais elaborado, de um nível superior aos que a criança normalmente lê.
  • Leia antes. Não dê um livro a uma criança ou comece a lê-lo para ela antes de conhecer muito bem a história, os personagens e valores envolvidos. Isso evitará que a criança leia algo inapropriado ou que exponham valores diferentes dos que aprende com a família.

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-no no Twitter.

Leia também