Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Imagem: Divulgação/CoorDown
Imagem: Divulgação/CoorDown
Defesa da Vida

França proíbe vídeo para não ofender quem abortou bebês com síndrome de Down

Na França, 96% dos fetos diagnosticados com síndrome de Down são abortados.

O Conselho de Estado francês manteve uma decisão que proíbe a veiculação de uma campanha de conscientização sobre a síndrome de Down na televisão do país, alegando que “a expressão de felicidade” das pessoas com a condição retratadas no vídeo “seria capaz de perturbar a consciência” das mulheres que optaram pelo aborto ao ter seu filho diagnosticado com a síndrome.

Atriz de Bridget Jones alerta: grávidas são pressionadas a abortar bebês com síndrome de Down

O órgão do governo francês que fiscaliza as rádios e televisões do país já havia proibido a veiculação da campanha, intitulada Dear Future Mom, mas portadores da síndrome e suas famílias haviam recorrido com um apelo, derrotado pelo Conselho de Estado.

O texto do Conselho de Estado não fala explicitamente de aborto, mas se refere a mulheres “que fizeram legalmente diferentes escolhas de vida pessoal”. Por isso, a veiculação da campanha seria “inapropriada”. Na França, 96% dos fetos diagnosticados com síndrome de Down são abortados.

O vídeo de dois minutos foi criado pela CoorDown, um órgão italiano formado por portadores da síndrome, para o Dia Mundial da Síndrome de Down de 2014. A produção apresenta pessoas com Down de vários países respondendo a uma mulher assustada cujo feto tinha acabado de ser diagnosticado com a condição. “Estou com medo: que tipo de vida meu filho terá?”, questiona a mulher em uma carta.

Em resposta, portadores da síndrome explicam o que podem fazer: falar, ler, escrever, ir à escola, trabalhar, consertar bicicletas, viver de forma independente, amar e muito mais. Suas histórias refletem a realidade de como é viver com a síndrome de Down e têm o objetivo de tranquilizar as mulheres que receberam esse diagnóstico no pré-natal, deixando de lado estereótipos ultrapassados.

Assista ao vídeo:

Com informações de Huffington Post.

****

Recomendamos também:

Atriz de Bridget Jones alerta: grávidas são pressionadas a abortar bebês com síndrome de Down

Agência de modelos rejeita bebê com síndrome de Down, mas ele ficou famoso mesmo assim

“Sou muito bom limpando mesas e o chão”: um jovem com Down à procura de trabalho

****

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

3 Comentários
  1. O governo francês, esse ‘monstro’ que proibiu essa campanha, partiu do principio que todos tem direito a escolha, entendeu que o tom da campanha pode discriminar as mães que cometeram aborto, sendo que jamais vai ser fácil para a mulher, nem antes nem depois, também partiu do pressuposto que a França tem altos índices de suicídio e que tocar numa ferida poderia induzir a essas mulheres terem depressão. A França também baniu concursos de beleza infantis ou comercias infantis onde exaltasse apenas um padrão de beleza, justamente para que crianças que não se encaixassem nesse padrão não fossem discriminadas, como o governo é cruel não?

  2. Não dá pra tapar o sol com a peneira, podem evitar que essa foto linda seja veiculada em um instrumento controlado, mas a capacidade de ser feliz das pessoas com down está aí no mundo inteiro e não pode ser sufocada… assim como a capacidade do ser humano de tomar a infeliz decisão do aborto está para atormentá-las pelo resto das suas vidas, infelizmente o perdão da sociedade não alivia a dor dessas mulheres e homens…

Leia também