Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
collage-possibledreamdoudation
Virtudes e Valores

Eles adotaram 88 crianças com necessidades especiais ao longo de 40 anos

A sensibilidade diante das crianças com deficiência se originou no hospital infantil onde o casal se conheceu

O pediatra Mike e a enfermeira Camille Gerardi moram em Ellijay, na Geórgia, Estados Unidos. Eles se casaram em 1975 e tiveram duas filhas biológicas, Renae e Jaclyn. No entanto, o número de crianças que o casal adotou ou das quais se tornou tutor legal ao longo dos mais de 40 anos de casados é bem maior. Chega a 88, todas elas portadoras de necessidades especiais.

Mike e Camille se conheceram em 1973 no Hospital da Criança de Miami, onde eles trabalhavam. O lugar atendia uma multidão de crianças com algum tipo de enfermidade ou deficiência. Tanto que, assim que Mike pediu Camille em casamento, a enfermeira lhe disse que queria fazer um lar para crianças deficientes. “Eu quero seguir seu sonho”, respondeu Mike.

Como essa engenheira paralítica chocou os abortistas na assembleia da OEA

A primeira adoção aconteceu em 1986. No total, 17 crianças diagnosticadas com síndrome de Down, síndrome de Zellwegger, deformações no crânio, deficiências de desenvolvimento, autismo, lesões e outros distúrbios críticos foram levadas para o lar do casal.

Pouco tempo depois da primeira adoção, o casal criou a Possible Dream Foudation, que ajuda crianças deficientes e suas famílias desde educação até o treinamento profissional. Com a criação da fundação, o casal ainda contratou dois funcionários para complementar a ajuda de voluntários.

Das 88 crianças que passaram pelos cuidados do casal – todas sempre desacreditadas pelos médicos – como adotados ou tutelados, 31 sobreviveram.

Como um grupo de universitários está mudando a vida de crianças que não têm mãos

Além da luta diária com as crianças e a tentativa de proporcionar tudo o que eles precisavam, Mike e Camille ainda passaram por dificuldades maiores. Em 1992, eles perderam a casa onde moravam, na Carolina do Norte, após o imóvel ser atingido por raios, durante um furacão.

No ano passado, Mike faleceu, um dia depois de completar 73 anos. Ele tinha sido diagnosticado com um câncer agressivo. “Nós dois tivemos um grande carinho com as crianças. Poder ajudá-las foi o que nos uniu”, disse Mike em uma entrevista em 1991.

Atualmente, Camille ainda está comprometida com a causa. Na casa dela, na Geórgia, ainda moram 20 filhos. Os demais atingiram a vida adulta, trabalham e construíram suas famílias.

 

Fotos: Facebook.com/possibledreamfoudation
Fotos: Facebook.com/possibledreamfoudation

 

possible dream foudation 2

 

possible dream foudation 3

 

Veja mais fotos aqui.

Com informações de Extra e CNN.

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também