Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
path3371
foto minha
Jônatas Dias Lima

Blog da Vida

Opinião e notícia sobre as causas pró-vida e pró-família

Presidente do Equador diz que renuncia se aborto for liberado em seu país

O presidente do Equador, Rafael Correa, afirmou que renunciará ao cargo se o aborto for legalizado em seu país via reforma do código penal, como vem sendo debatido por deputados de seu próprio partido. Correa definiu como traição o movimento de alguns de seus colegas de legenda que lideram a tentativa de liberar a prática no texto […]

Presidente Rafael Correa faz ultimato a deputados do próprio partido. (foto: Reuters)
Presidente Rafael Correa faz ultimato a deputados do próprio partido. (foto: Reuters)

O presidente do Equador, Rafael Correa, afirmou que renunciará ao cargo se o aborto for legalizado em seu país via reforma do código penal, como vem sendo debatido por deputados de seu próprio partido.

Correa definiu como traição o movimento de alguns de seus colegas de legenda que lideram a tentativa de liberar a prática no texto da nova legislação. “A mim dá muito mais trabalho as deslealdades e traições de supostos amigos do que os acertos dos inimigos”, disse Correa numa entrevista concedida a uma rede de tevê local. Na última campanha presidencial, o presidente assumiu o compromisso de não legalizar o aborto no país.

Ele disse estar “cansado” dessa movimentação e afirmou: “Façam o que quiserem , eu jamais aprovarei a despenalização do aborto”. Por fim, Correa ameaçou os colegas do Alianza PAIS, dizendo que se as traições para legalizar o aborto continuarem, ele “imediatamente” apresentará sua renúncia ao cargo.

Pela legislação atual, o aborto é crime no Equador, não punível apenas em casos de estupro de pessoa com deficiência mental, risco de saúde ou vida da mulher.


Alguns dirão que a convicção contra o aborto do presidente não passa de jogo de cena, o que não me parece verdade. De qualquer modo, a postura de Rafael Correa é desconcertante para os apaixonados ideológicos, que adoram categorizar pessoas, definindo como “abortista” a qualquer um que se diga de esquerda, e pior, exigindo desses o apoio ao aborto legal.

Por mais raro que seja um legítimo bolivariano assumir publicamente uma postura pró-vida, a valorização da vida humana desde a concepção deveria estar acima da escolha de lados políticos, tanto quanto o assassinato ou o genocídio são naturalmente condenáveis por qualquer cor partidária.  O mundo seria um lugar melhor se socialistas e liberais não tivessem dúvidas quanto a matar ou não um ser humano indefeso dentro do útero materno.

***

Curta a página do Blog da Vida no Facebook.

Por

25 Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

  1. Mas como ignorar, Glauco, o fato básico de que abortar é matar, e o nascituro tem direito à vida? E mais: o direito à vida não é adquirido como o trabalhista, mas congenial. Negá-lo ao nascituro abre as portas para que todos os demais direitos sejam pisados. Não pode haver direito de matar inocentes.

  2. A atual discussão sobre o aborto no Brasil envolve três variáveis: a ampliação do direito ao aborto, a manutenção do direito apenas nos casoa atualmente previstos em lei e a proibição total do aborto. Essa discussão é sobre direitos, e não sobre obrigações. Na maioria dos países ocidentais onde o aborto é legalizado, sua realização só é permitida até o período em que não se pode definir o sexo do embrião. Quanto à coação de famílias, namorados etc. para que mulheres abortem, isso existe independentemente da legalização, e a solução passa pela educação e pela regulamentação.

  3. Glauco, não digo que meus argumentos tenham valor absoluto, mas é interessante que os defensores do aborto não gostem que certos fatores sejam trazidos a público. É claro que aborto é bandeira machista. O aborto seletico contra meninas; a coação às gestantes por parte da família (como pais e maridos); a atitude leviana de namorados ou “ficantes” que engravidam as garotas e depois dizem para elas se virarem. Como não é machismo??? Já disse e repito, homem também faz aborto.

  4. Prezada Suzana, desculpe mas se você investigar verá que a ideologia abortista, sim, é extremamente hipócrita. Quer uma prova? Num dos vídeos de denúncia que fez o ex-rei do aborto nos EUA, Dr. Bernard Nathanson, um membro da equipe cirúrgica faz esta pergunta: -O número 1 já saiu? – Sabe você o que é o número 1? É a cabeça do bebê. Quer maior hipocrisia do que isso? Aborto, de resto, não é questão apenas feminina, pois aos homens também interessa a defesa dos direiros humanos. E, veja bem, a maior parte das mulheres é contra o feticídio. Aborto, de resto, é bandeira machista – e já demonstrei isso aqui.

  5. Gostaria de parabenizar este Presidente. Eu sou resultado de um aborto que não deu certo. Ninguém considera a questão psicológica que mata aos poucos, deforma e tira a vida de seres ainda vivos. Parabéns presidente, eu falo por mim, e por aqueles que infelizmente não falharam – Deus o abençoe.

  6. O aborto é uma questão essencialmente feminina. O Ministério da Saúde estima que 1.000.000 (um milhão !!!) de abortos acontecem anualmente no país a revelia das leis, sejam divinas ou não. Nossa hipocrisia apenas marginaliza estas mulheres e as relega a situações éticas, morais e de fundo prático inimagináveis. O aborto é uma questão pessoal — ninguém é obrigado a adotá-lo.

  7. Jessica, os argumentos do Dino foram falhos e injustos sim, porque ele lançou acusações sem o minimo cabimento contra os pró-vida. A carapuça não nos cabe. E, cientificamente falando, a vida começa na concepção, pois o zigoto já é um ser humano individualizado. Pela maneira como alguns abortistas falam, parece que são eles, os abortistas, as pessoas mais altruistas, generosas e empreendedoras do mundo. Temos sim, o direito de falar em defesa da vida humana desde a concepção. É muito fácil induzir mocinhas que nem sabem direito o que estão fazendo mas uma coisa é certa: depois que a jovem aborta e arruina a sua vida, os maus aconselhadores não farão mais nada por ela, na maioria dos casos. A mulher que aborta comete uma enorme violência contra a sua natureza e sofrerá pelo resto da vida a síndrome pós-aborto, um remorso esmagador, existem depoimentos pungentes sobre isso. Agora sáude pública? Esse conceito não existe para matar e sim para salvar vidas. Não sei se você sabe, mas no Juramento de Hipócrates, ao se formar, o profissional de medicina se compromete a não abortar. Um médico que faz abortos deixa de ser médico.

  8. Querida Jessica. Legalizar é incentivar.
    Aborto (salvo os casos já ditos, em que o bebê e/ou a mulher correm risco, ou em caso de estupro) é para pessoas irresponsáveis! As pessoas devem assumir os seus atos, isto é questão de caráter. Você disse que não somos animais com função de procriar, então por que agir como tais? O governo só vem discutir este tema porque há muito interesse político e financeiro para o país. Seja MULHER, assuma as suas responsabilidades e consequências dos seus atos!

  9. Miguel Carqueija, quem é voce para dizer que os argumentos de alguem sao falhos e injustos unicamente pelo fato de que nao sao os mesmos que os seus? Legalizar e enquadrar o aborto nao significa banaliza-lo e recorrer a ele como forma de contracepcao…Legalizar o aborto nao é questao de religiao ou de valores, mas sim de SAUDE PUBLICA! Quantas mulheres morrem porque precisam recorrer a intervençoes insalubres feitas por profissionais desqualificados? A criminalizacao nao vai impedir o recurso ao aborto, por isso a legalizacao é o melhor meio de proteger o direito das mulheres e por que nao dos fetos: somente a legislaçao pode definir os limites do aborto. Nao existe consenso quanto à humanizacao do feto a partir da concepçao, mas a maioria esta de acordo em dizer que existe um limite para a realizacao do aborto. Os paises mais desenvolvidos e com a menor taxa de mortalidade legalisam o aborto e oferecem condicoes humanas às mulheres que nao se vêem em condicoes de ter filhos. Sim, temos o direito de decidir quando é o melhor momento de se ter filhos, nao somo meros animais cuja funçao é a procriaçao. E esse discurso de «se nao quer filhos, cuide-se» ou «dê para adoçao» nao é nada compativel com uma realidade onde métodos contraceptivos falham e onde milhares de crianças passam os anos mais importantes de sua socialisacao em orfanatos, privadas de carinho, educaçao e exemplo.

  10. Estimado Dino, nao por acaso sera lancado no Brasil no dia 15/11 o documentario “Blood Money-Aborto legalizado” que expoe a dura realidade dos 40 anos em que o aborto eh legal nos EUA. O filme retrata a industria bilionaria que sobrevive as custas dos sofrimentos ( emocionais, mentais e ateh fisicos) das mulheres que abortam quase que induzidas pelo Estado assim como das criancas que sao assassinadas a “sangue frio”…Este documentário vai dar o que falar por aqui ja que ele mostra que o aborto legalizado esta praticamente dizimando os pobres e negros,como una eugenia “a la Hitler”. “BLOOD MONEY” eh apresentado pela Dra. Alveda King que eh sobrinha do pacifista mubdial Martin Luther King Jr.O diretor David Kyle vira ao Brasil para lancar o filme. Abracao

  11. Carissimo Dino,sera lancado um documentario investigativo no dia 15 de novembro no Brasil que vai dar falar:BLOOD MONEY-ABORTO LEGALIZADO. O filme retrata o legado de exatos 40 anos que o aborto esta legalizado nos EUA. Uma das coisas mais marcantes desse documentario eh que os que mais continuam morrendo nos EUA sao justamemte os pobres e negros. Estes estao sendo quase dizimados pela cultura da morte daquele pais que virou negocio e fatura bilhoes de dollarrs as custas do sofrimento das mulhares (tem varios depoimentos delas q sao praticamente induzidas a fazer o aborto prlo Estado) e das criancas que sao assassinadas a sangue frio. Vale a pena assistir a esse filme que nao por acaso cherga agora ao Brasil. Abracao e tudo de bom!

  12. Não creio que o aborto seja um tema político-ideológico. É antes de tudo um tema religioso, tem a ver com convicções pessoais, uns apoiarão, outros não. De qualquer forma, no Brasil e no mundo é um crime muito praticado, mas pouco registrado, pq a fiscalização é muito difícil. A lei no fim das contas não inibe ninguém de cometê-lo.

  13. Blog “pró-vida” sim! As mulheres e homens que se cuidem se não querem engravidar. Métodos para isso não faltam. Como podem ter coragem de matar, assassinar, um serzinho indefeso que está dentro de si mesma? Que é vida da sua vida? A mulher não é dona da vida para matá-la. Se não quiser criar o próprio filho, doe-o para adoção. Sabe o que me conSola? A reação da natureza vem para as que abortam. A energia delas é pesada, ruim, são infelizes, alma escura e, podem observar, elas ficam doentes facilmente, tem um monte de dor aqui e ali, um monte de doenças. Pode demorar alguns anos após a m. que fizeram, mas as doenças e fraqueza vem sim, muito antes do que viria se fossem pessoas de alma, mente e corpos audáveis.

  14. A argumentação do Dino é inteiramente falha e totalmente injusta com os pró-vida. Com certeza, nós somos a favor da vida em sua totalidade. Pensamento conservador? O termo conservador é elogio, prezado. Significa conservar os valores. O uso de eufemismos não resolve a questão: interromper a gravidez é assassinar. Não se trata de ignorar os problemas graves que podem acompanhar uma gestação, mas é inadmissível que a solução seja matar bebês. Pois esse é o ponto nevrálgico que vocês evitam encarar: abortar é assassinar seres humanos inocentes e indefesos. É a maior covardia.E não vale apresentar o abortismo como defesa da mulher: como eu disse, a maior parte das vítimas é de mulheres mesmo, por causa do aborto seletivo (por que evitam tocar nesse detalhe?)Você diz que no Uruguai depois da legalização não houve nenhuma morte. Como assim? E os nascituros abortados, não morreram? E mais: não é só a mulher que faz o aborto, homem também faz aborto e como faz! Na maior parte dos abortamentos é provável que a maioria dos envolvidos seja mesmo do sexo masculino – inclusive pais e maridos que espancam as mulheres para forçá-las a abortar.

  15. a escolha individual da mulher é sempre deixada d lado, os pró-vida não tem a empatia de se colocar na posição dee mulheres com todas e quaisquer tipos de dificuldades que possam optar pela interrupção da gravidez, os pró-vida são entidades religiosas na sua maioria, de pensamento conservador, que defendem a redução da maioria penal e concordam em matar pelas costas jovens pobres e negros, afinal quando um negro morre nao ha problemas quando o mesmo acontece com branco é um escandalo, quase todos os países da europa tem o aborto regulamentado, assim como canada, eua, australia, só para citar o mundo ocidental, estes que criminalizam o aborto estao preocupados em julgar moralmente a vida alheia e nao contribuiem em nada na sociedade, agora o Uruguai é o melhor exemplo, descriminalizou o aborto, não houve nenhuma morte registrada decorrente de aborto ilegal, pois isso causa segurança a saúde das mulheres que podem optar pelo momento certo de cada uma

  16. Mariana, é pró-vida da mulher, sim. Lembre que a maior parte das crianças mortas em abortos são mulheres, porque nesse mundo machista pratica-se largamente, principalmente na Ásia, o aborto seletivo de meninas. Aborto é direito da mulher? Só se for o direito de ser exterminada. Além do mais é provável que a maioria dos militantes pró-vida sejam mulheres, em geral mais sensíveis que os homens.

Leia também