Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Monastiraki square, Athens.
IMG_20160203_155403 (1)
Josair Bastos

Ágora

Espaço ao debate cultural e político

Polícia sueca retira jornalista de “área muçulmana” na capital

Após o presidente Donald Trump declarar que a Suécia vive em tensão por conta da imigração em massa de muçulmanos, jornalistas entram em áreas dominadas por imigrantes para desafiar o presidente.

Crédito: Breitbart
Crédito: Breitbart

O jornalista americano Tim Pool esteve na Suécia na semana passada investigando “Áreas proibidas” (No Go Zones), como o infame subúrbio de Rosengård, de Malmö, e várias áreas não-governamentais da capital Estocolmo. Ao explorar o subúrbio de Estocolmo, em Rinkeby, ele alegou que homens mascarados se aproximaram dele e a polícia lhe disse para sair. No entanto, a polícia nega que teria o escoltado para fora da área, informou a emissora sueca SVT.

Segundo Pool, ele não estava sequer filmando quando vários homens começaram a seguir sua equipe. Ele disse que a polícia também começou a seguí-lo e, quando os homens colocaram máscaras, os oficiais suecos lhe disseram para deixar a área para não causar um incidente.

Pool lançou um vídeo em seu canal no YouTube que o mostra falando com um fotógrafo sueco no centro de Rinkeby.

A área de imigrantes foi recentemente atormentada por saques e violência, incluindo carros incendiados, depois que um homem local foi preso pela polícia.

O vídeo mostra a polícia sueca escoltando o grupo para fora da “No Go Zone”. A polícia contrariou as afirmações de Pool, dizendo que o aumento da presença policial foi devido a um “evento de poesia”. Um porta-voz disse: “Nós tivemos mais policiais no chão hoje por causa da noite de poesia em Rinkeby porque haverá muitos visitantes”. A polícia alegou que a razão para a saída forçada do grupo foi por filmarem moradores locais, o que poderia causar problemas, uma vez que os moradores da área não gostam de ser filmados.

A área comercial em Rinkeby é a mesma onde uma equipe de televisão australiana foi atacada no ano passado. A tripulação do Canal Nove tinha vindo para a área investigar os efeitos da imigração em massa quando eles foram abordados por vários homens e foram socados, chutados e atingidos com um carro. Apenas alguns meses depois, em Husby, outro subúrbio de Estocolmo, uma equipe de TV norueguesa foi atacada em um café enquanto estavam entrevistando o economista sueco-iraniano Tino Sandandaji. Sandandaji lançou recentemente um livro chamado Mass Challenge, uma “análise sincera e baseada em evidências” da política de imigração do país, que foi proibida por uma biblioteca em Estocolmo por supostamente promover o racismo.

Com informações de Breitbart

Siga Ágora no Facebook

Acompanhe o autor do blog

 

Por

Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia também