Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

7 sinais de que seu filho pode estar envolvido no perigoso jogo da Baleia Azul

Especialista alerta que entrar no jogo é consequência de algo que já não vai bem na vida do adolescente

O Baleia Azul, jogo composto por 50 desafios enviados a partir da troca de mensagens entre adolescentes e organizadores, chamados de “curadores”, tem preocupado o país nos últimos dias. Com tarefas que vão desde assistir filmes de terror até automutilar-se, o jogo incita os participantes ao suicídio.

Ana Suy Sesarino Kuss, professora do curso de Psicologia no Centro Universitário Autônomo do Brasil (Unibrasil), explica que o jogo em si é uma conseqüência de algo que já não vai bem na vida daquele adolescente. Não é algo que apareça do dia para a noite. Aos pais, segundo ela, cabe buscar a conversa diária, sem imposição alguma, contando sobre coisas simples como um livro, a escola, um filme e até a vida do vizinho. “É perceber durante a fala se há sentido para ele em viver. Ele não é um objeto e está numa fase de construção de uma lógica própria”, conta.

Se você apresenta algum desses 7 sintomas pode estar com depressão

Essas mudanças de comportamento características da idade devem ser acompanhadas de perto pelos pais para que estes entendam como ter essa abertura para a conversa. Ficar atento a alguns sinais é importante, e neste momento, em que um perigoso jogo como esse tem ganhado proporções policiais, é imprescindível o cuidar. Aqui estão alguns sinais que podem te auxiliar a identificar se seu filho está envolvido no Baleia Azul:

 

– Automutilação (alguns com desenhos de baleia);

– Mudança de comportamento;

– Isolamento do convívio familiar (muito tempo trancado no quarto, por exemplo);

– Filmes de terror passam a ser mais freqüentes entre as opções dele;

– Sair de casa em horários incomuns, como a madrugada;

– Muito tempo conectado à internet;

– Inclusão de contatos desconhecidos no celular e rede social;

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também